Susan Boyle: um alerta à era das celebridades

segunda-feira, 1 de junho de 2009 15:09 BRT
 

Por Mike Collett-White

LONDRES (Reuters) - A ascensão vertiginosa de Susan Boyle de desempregada escocesa que trabalhava como voluntária na igreja à superestrela global teve um preço e está sendo vista como história que encerra lições para a era das celebridades.

A performance da cantora de 48 anos cantando "I Dreamed a Dream" no programa de calouros "Britain's Got Talent" em abril foi baixada quase 200 milhões de vezes na Internet, e em questão de dias Boyle estava fazendo manchetes em todo o mundo.

Equipes de TV acamparam diante da casa onde ela vivia sozinha com seu gato, os apresentadores Larry King e Oprah Winfrey a convidaram para seus programas de TV nos EUA, e os tablóides passaram a seguir cada passo que ela dava.

Mas, à medida que a pressão sobre ela aumentava antes da final do programa, no sábado, na qual Boyle era vista como favorita absoluta para vencer, a cantora teve um acesso de raiva e ameaçou desistir de concorrer.

No domingo, depois de sua derrota inesperada pela trupe de dança Diversity, a cantora foi internada numa clínica de Londres que trata pessoas com problemas de saúde mental, sofrendo de exaustão. O tablóide The Sun informou que ela teria tido "um colapso emocional".

David Moxon, psicólogo especializado em estresse, comentou: "Ser famoso não é tudo o que dizem, e a ideia de que você possa ter uma vida pessoal e também uma vida na mídia muitas vezes é conflitante".

"Deve ser difícil ser perseguida pelas pessoas quando se caminha pela rua."

"Não acho que Boyle tenha procurado propositalmente virar celebridade. Ela foi motivada pelo amor pelo canto, e essa é a parte triste dessa história, que mostra que a fama cobra seu preço."   Continuação...

 
<p>Foto de arquivo de Susan Boyle. 21/04/2009. REUTERS/David Moir</p>