ESTREIA-Documentário retrata a carreira de Paulo Vanzolini

quinta-feira, 4 de junho de 2009 10:56 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O cineasta Ricardo Dias e o compositor Paulo Vanzolini, ligados por uma amizade antiga, também possuem uma paixão comum: a ciência. E foi por causa dessa intimidade com células e organismos vivos que o biólogo-cineasta começou a registrar em película as andanças de Vanzolini pelo país enquanto executava seu trabalho como zoólogo.

Das imagens do cientista para as do sambista, foi um pulo, ou uma capoeira, que chega nesta sexta-feira aos cinemas de São Paulo, Rio e Santos, com o filme "Um Homem de Moral".

Compositor com obras gravadas por alguns dos maiores intérpretes brasileiros, Vanzolini, autor de "Ronda", chega aos 85 anos como personagem desse documentário que registra os preparativos para um show realizado em 2003 no Sesc Vila Mariana, em São Paulo, e a gravação de 52 músicas, numa revisão geral de sua obra realizada pela gravadora Biscoito Fino.

No filme, Vanzolini está bem à vontade e conta algumas histórias sobre sua vida dupla, de cientista e compositor popular. Ao mesmo tempo, acompanha de perto as gravações das canções, interpretadas por Miúcha, Chico Buarque, Paulinho da Viola, Martinho da Vila, Márcia, Inezita Barroso e Paulinho Nogueira, entre outros artistas.

A obra de Vanzolini está tão impregnada na vida de São Paulo como a de outro paulista ilustre, Adoniran Barbosa, não por acaso um dos principais representantes do samba paulista. Os personagens suburbanos cantados por ambos sobrevivem na geografia inóspita da cidade e conseguem sacudir a poeira e dar a volta por cima, como reconhece o samba de Vanzolini, assobiado nas esquinas como verdadeiro hino de auto-ajuda em momentos de dificuldades amorosas.

Ricardo Dias foi apresentado ainda menino a Vanzolini por seu pai, na década de 60, na usina de Jupiá, no rio Paraná, quando o cientista realizava um estudo do impacto ambiental da obra.

Posteriormente foi aluno de Vanzolini, quando estudou Biologia na USP, nos anos de 1970. Foi nessa época que passou a documentar o trabalho do professor como zoólogo. Algumas cenas na mata foram aproveitadas no novo documentário.

* As opiniões expressas são responsabilidade do Cineweb

(Por Luiz Vita, do Cineweb)