Atores de Hollywood aprovam novo contrato

quarta-feira, 10 de junho de 2009 10:31 BRT
 

Por Alex Dobuzinskis

LOS ANGELES (Reuters) - Membros do Sindicato de Atores do Cinema e da Televisão (SAG) aprovaram na terça-feira, por grande maioria, um novo contrato de dois anos com os estúdios de Hollywood, encerrando um impasse que durou um ano, opôs astros de primeira linha e retardou produções.

O sindicato, que representa cerca de 120 mil atores, estava extremamente dividido em relação ao acordo proposto. O presidente do SAG, Alan Rosenberg, liderou a facção intransigente que exigia termos melhores, especialmente para trabalhos distribuídos pela Internet.

Mas muitos filiados temiam uma repetição da greve de roteiristas de Hollywood, que se arrastou por 100 dias e custou até 3 bilhões de dólares à economia da região de Los Angeles antes de ser encerrada, no início de 2008.

As produções cinematográficas de fato foram retardadas no ano passado. Os produtores temiam iniciar produções e ser obrigados a fechá-las se os atores entrassem em greve.

O SAG disse que 78 por cento de seus filiados votaram a favor do contrato com a Aliança de Produtores de Cinema e Televisão (AMPTP), que representa os estúdios de Hollywood. Foi uma margem de aprovação maior que a prevista.

O contrato coletivo anterior do SAG chegou ao fim de sua vigência em 30 de junho de 2008, mas os atores continuaram a trabalhar segundo seus termos. O novo contrato prevê aumento salarial de 3 por cento para os atores este ano, 3,5 por cento em 2010 e cobertura para trabalhos feitos para a Internet.

Especialistas dizem que o novo contrato, que entra em vigor imediatamente, deve abrir caminho para algum aumento na produção de filmes, apesar de o setor estar enfrentando a recessão econômica.

Rosenberg, que está separado da co-atriz de "CSI" Marg Helgenberger, disse à Reuters que ficou decepcionado com o seu lado por "não ter conseguido transmitir sua mensagem com a mesma força e clareza que o outro lado".   Continuação...