Indústria pornô dos EUA teve 16 casos de HIV não divulgados

sexta-feira, 12 de junho de 2009 17:34 BRT
 

Por Dan Whitcomb

LOS ANGELES (Reuters) - Houve 16 casos não divulgados de HIV entre atores pornô desde que um surto do vírus em 2004 fez manchetes nos Estados Unidos, revelaram autoridades de saúde na sexta-feira. A notícia deve levantar novos temores sobre a Aids na indústria do cinema adulto.

A revelação foi feita em resposta a um pedido de informação por parte do Los Angeles Times, que tinha divulgado que uma atriz não identificada teria tido resultado positivo no exame de HIV na semana passada.

De acordo com o jornal, o setor de cinema pornô disse que foi o primeiro caso desde o surto de 2004.

Na realidade, 22 atores e atrizes apresentaram resultados positivos nos exames de HIV, incluindo o caso da semana passada e cinco em 2004, segundo os números divulgados pelo Departamento de Saúde Pública de Los Angeles.

Desde o surto de 2004, em que um ator pornô contaminou três atrizes e outro ator também teve resultado positivo em seus exames, a indústria americana de cinema adulto, que movimenta 12 bilhões de dólares por ano, passou a exigir que os atores pornô sejam submetidos a exames regulares.

A maioria dos exames é realizada pela Fundação de Atendimento Médico da Indústria Adulta, que emite certificados de trabalho aos atores que têm resultados negativos nos exames de HIV.

A atriz não identificada teve resultado positivo de HIV em 4 de junho e trabalhou no dia seguinte, antes de fazer o segundo e terceiro exames, segundo o Los Angeles Times.

O segundo exame também deu positivo, e os resultados do terceiro ainda não foram anunciados, segundo a fundação de saúde, AIM Healthcare.   Continuação...