Filme ambientado no Irã examina a morte por apedrejamento

terça-feira, 23 de junho de 2009 20:02 BRT
 

Por Christine Kearney

NOVA YORK (Reuters) - Uma mulher iraniana é condenada injustamente por adultério, amarrada, amordaçada e enterrada na terra até a cintura, para então ser morta a pedradas numa sequência sangrenta e chocante de um filme que chega aos cinemas americanos esta semana.

"The Stoning of Soraya M." (O apedrejamento de Soraya M.) é uma dramatização baseada no best-seller do mesmo título escrito por um jornalista franco-iraniano sobre a morte de uma mulher num povoado iraniano em 1986.

O filme estreia em cidades norte-americanas na sexta-feira, em meio ao ultraje internacional em torno dos protestos e derramamento de sangue desencadeados no Irã pela eleição presidencial de resultados contestados. O diretor do filme, Cyrus Nowrasteh, diz que o timing não foi planejado.

O objetivo é criar uma condenação dramática da prática da morte por apedrejamento, que ainda ocorre em países que incluem Irã, Afeganistão, Paquistão e Somália, disse Nowrasteh à Reuters.

Nascido nos EUA e de ascendência iraniana, o diretor, que passou parte de sua infância no Irã, disse: "Basicamente, este filme trata da injustiça."

"The Stoning of Soraya M." foi rodado na Jordânia e tem no elenco a atriz iraniana exilada Shoreh Aghdashloo, cuja personagem conta a um jornalista de passagem a história de sua sobrinha, assassinada depois de ser falsamente acusada de infidelidade por seu marido, que queria o divórcio.

Nowrasteh disse que o filme não critica o islã ou especificamente o Irã, mas aqueles que usam a religião para seus objetivos próprios em vários países.

No filme, as autoridades locais utilizam a lei islâmica sharia para incitar os moradores do povoado a se voltarem contra sua amiga e vizinha.   Continuação...