Chávez critica CNN por priorizar morte de Michael Jackson

sexta-feira, 26 de junho de 2009 08:32 BRT
 

CARACAS (Reuters) - O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, criticou na quinta-feira a rede de notícias CNN por priorizar em suas transmissões a cobertura da morte do astro pop Michael Jackson sobre a crise política que Honduras atravessa.

O país da América Central está em tensão pela resistência dentro do próprio governo e das forças armadas contra uma consulta popular proposta pelo presidente Manuel Zelaya que abre a porta à reeleição presidencial.

"A CNN se prendeu a tarde toda, enquanto em Honduras o povo está nas ruas e o presidente está enfrentando até perigo de morte, e a CNN transmitindo uma notícia que é lamentável (a morte de Jackson)", afirmou Chávez em um ato com jovens.

O presidente esquerdista tem atacado em diversas ocasiões o canal internacional de notícias acusando-o de defender os interesses do capitalismo e principalmente do "império" norte-americano.

"Se Michael Jackson morreu, que descanse em paz, é um ser humano. Mas toda a tarde foi sobre se ele ganhou não sei quantos prêmios, vendeu não sei quanto. Esse é o capitalismo", acrescentou.

O cantor norte-americano Michael Jackson morreu na quinta-feira vítima de um ataque cardíaco aos 50 anos depois de ter deixado um legado na música como o Rei do Pop.

Chávez tem denunciado que as mídias "capitalistas" buscam criar uma matriz de opinião contra os países não desenvolvidos, o que o teria levado a promover iniciativas como a criação do canal de notícias Telesur, para se opor a esses meios.

(Por Fabián Andrés Cambero)

 
<p>Presidente da Venezuela, Hugo Ch&aacute;vez, em Maracay. 24/06/2009. REUTERS/Carlos Garcia Rawlins</p>