Causa da morte de Michael Jackson segue incerta após autópsia

sexta-feira, 26 de junho de 2009 21:12 BRT
 

Por Dan Whitcomb e Laura Isensee

LOS ANGELES (Reuters) - Médicos finalizaram uma autópsia no corpo de Michael Jackson nesta sexta-feira mas disseram que não puderam determinar imediatamente uma causa para a morte do "rei do pop" enquanto a especulação foca-se no uso de medicamentos prescritos ao cantor.

"A causa da morte foi adiada, o que significa que o examinador pediu testes adicionais como toxicologia e outros estudos", disse o porta-voz dos médicos legistas do condado de Los Angeles, Craig Harvey.

"Estes testes, esperamos, levarão de quatro a seis semanas."

Falando com repórteres que aguardavam no prédio do instituto de medicina legal, Harvey disse: "Não há indicação de nenhum ferimento externo ou indicação de agressão no corpo do sr. Jackson".

Ele disse que a causa da morte de Jackson, de 50 anos, deve ser determinada quando os testes forem finalizados.

O corpo será liberado a familiares após a escolha de uma funerária, disse Harvey.

Um membro próximo à família de Jackson disse ao site TMZ.com que o cantor recebeu uma injeção do analgésico Demerol antes de sofrer a parada cardíaca em sua casa alugada, por volta do meio-dia da quinta-feira no horário local. Pouco depois, o site divulgou que Jackson morrera num hospital de Los Angeles.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse que Jackson era um "artista espetacular", mas que alguns aspectos da sua vida eram "tristes e trágicos", disse a Casa Branca.   Continuação...

 
<p>Foto de arquivo de Michael Jackson em apresenta&ccedil;&atilde;o em Munique. 27/06/2009. REUTERS/Michael Dalder/Arquivo</p>