ESTREIA-"Era do Gelo 3" aposta em valores familiares e aventura

sexta-feira, 26 de junho de 2009 16:31 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - Aparentemente os dinossauros não foram extintos. Eles vão muito bem, obrigado, no terceiro filme da série "A Era do Gelo", que chega aos cinemas brasileiros nesta sexta-feira em 60 salas na versão 3D (somente com cópias dubladas), e em mais de 650 salas em 35 mm (em versões legendadas e dubladas), na próxima quarta-feira.

A questão central em "A Era do Gelo 3" -- aprofundando tematicamente os filmes anteriores de 2002 e 2006 -- é o que forma a estrutura familiar. Um grupo de animais pré- históricos compõe uma espécie de família inusitada, provando que os laços da amizade podem ser mais fortes e duradouros do que os consanguíneos. Para chegar a essa conclusão, a bicharada precisa passar por uma grande aventura, envolvendo dinossauros perigosos e um mundo mais primitivo e subterrâneo que eles não conheciam.

O casal de mamutes Manny (voz de Diogo Vilela/Ray Romano) e Ellie (Cláudia Jimenez/Queen Latifah), por sua vez, está realmente esperando seu primeiro bebê, que pode nascer a qualquer momento. Por isso, o futuro papai acaba deixando de lado seus amigos para dar mais atenção à sua mulher. Ansioso como ele só, Manny monta um parquinho infantil no meio do gelo. Qualquer suspiro de sua companheira o faz pensar que chegou a hora do parto.

A preguiça Sid (Tadeu Mello/John Leguizamo) sente-se isolada e começa a procurar um filhote para chamar de seu. Acidentalmente, cai numa galeria subterrânea de gelo e encontra um trio de ovos de dinossauros, que adota, levando-os para a superfície. Já o tigre Diego (Márcio Garcia/Denis Leary) acredita que a convivência pacífica com os outros animais o deixou manso demais e que está perdendo sua força selvagem.

Quando os ovos quebram e os bebês saem da casca, a pequena preguiça não se deixa abalar pelo tamanho e o apetite infindável de ‘seus' filhotes. Mas, no momento em que a verdadeira Mamãe Dino vem em busca das crianças e causa muito estrago, Sid percebe que nem tudo é tão simples. Suas ‘discussões' com a dinossauro pela guarda das crianças assemelha-se à de qualquer casal em processo de divórcio.

Sid acaba sendo levado para o mundo subterrâneo, onde sobrevivem espécies tidas como extintas, caso de diversos tipos de dinossauros. Manny, Ellie, Diego e uma dupla de irmãos gambás descem a esse mundo em busca de Sid. Chegando lá, contarão com a ajuda de uma doninha de um olho só chamada Buck (Alexandre Moreno/Simon Pegg) cuja obsessão por capturar um gigantesco dinossauro albino o fez perder um olho -- detalhe que o torna parecido ao Capitão Ahab, de "Moby Dick".

O brasileiro Carlos Saldanha (que também assina os dois primeiros filmes) explora com sagacidade os efeitos visuais em 3D, que em "A Era do Gelo 3", ao contrário de outras produções do gênero, realmente se justificam e adequam à narrativa -- diferentemente de filmes que parecem apenas "jogar coisas contra a platéia", apenas pelo prazer de causar sustos. Além disso, essa tecnologia permite melhor visualização dos impressionantes detalhes dos cenários e personagens, como a pelagem dos mamutes.

Como nos outros filmes da série, paralelamente à história dessa trupe de personagens, há o esquilo dentuço e mudo Scrat e sua constante sina em busca de uma noz. Dessa vez, no entanto, há um diferencial: uma esquilo fêmea, que faz com ele um jogo de sedução, além de tentar roubar sua comida. Talvez seja apenas uma questão de tempo para o casal de roedores perceber que o amor supera qualquer prazer gastronômico -- ou não.

Com um roteiro que combina as emoções com a comédia, "A Era do Gelo 3" comunica-se bem tanto com o público infantil como com o adulto. Muitas de suas cenas poderiam muito bem ser protagonizadas por humanos, ao invés de animais pré-históricos -- como quando um grupo de filhotes ensandecidos brinca num parquinho. Suas ações não são muito diferentes das de qualquer criança contemporânea no mesmo cenário.   Continuação...