Família de Michael Jackson quer segunda autópsia

sábado, 27 de junho de 2009 18:08 BRT
 

Por Dan Whitcomb

LOS ANGELES (Reuters) - A família de Michael Jackson se reuniu neste sábado na casa dos pais do cantor, nos subúrbios de Los Angeles, para preparar o funeral do polêmico Rei do Pop, em meio a relatos de que estão buscando fazer uma autópsia independente, a segunda no corpo do artista.

O corpo de Jackson foi devolvido à sua família na noite de sexta-feira, após exames feitos pelos legistas do Condado de Los Angeles não terem determinado o que matou o astro, que estava com 50 anos. Os legistas estão à espera de testes toxicológicos que podem demorar de quatro a seis semanas para ficarem prontos.

O site de celebridades TMZ.com informou que uma segunda autópsia estava sendo realizada em local não conhecido em Los Angeles na tarde deste sábado, a pedido da família Jackson.

O reverendo Jesse Jackson, que tem sido o porta-voz dos pais do cantor, disse à CNN que a família iria "sem dúvida" pedir um exame independente no corpo do Rei do Pop.

"Isso foi da averiguação à investigação," disse Jesse Jackson à CNN. "Agora não há paz. Não sabemos o que aconteceu e precisamos saber. Michael não estava doente antes da noite (de quarta-feira). Ele não estava frágil."

Os rumores têm seu ponto central no uso, por Michael Jackson, de medicamentos prescritos e informações de que teria sido injetado o analgésico Demerol nele pouco antes da parada cardíaca.

Autoridades legistas disseram que não havia sinais externos de trauma no corpo de Jackson ou evidência de crime. Elas terão que esperar pelos exames toxicológicos e outros estudos para estabelecer a causa da morte.

Poucos outros detalhes foram divulgados sobre as descobertas da autópsia, mas a Fox News informou em seu website que investigadores descobriram que o corpo de Jackson mais saudável e forte do que esperavam, com algumas cicatrizes no rosto.   Continuação...

 
<p>Joe Jackson, pai de Michael Jackson (c), sendo conduzido para dentro da casa da fam&iacute;lia em Encino, Los Angeles, pelo reverendo Jesse Jackson (esq) e seu filho Yusef DuBois Jackson (dir).Fam&iacute;lia de Michael Jackson quer segunda aut&oacute;psia.REUTERS/Mario Anzuoni</p>