13 de Julho de 2009 / às 14:39 / 8 anos atrás

Comédia "Bruno" lidera bilheterias nos EUA

<p>Ator Sacha Baron Cohen na estreia de seu novo filme "Bruno" em Sydney. 29/06/2009. REUTERS/Daniel Munoz</p>

LOS ANGELES (Reuters) - “Bruno”, a mais recente investida de humor subversivo do satirista britânico Sacha Baron Cohen, conseguiu por margem estreita ocupar o primeiro lugar nas bilheterias norte-americanas no fim de semana.

O “mockumentary”, ou falso documentário satírico, em que Baron Cohen faz um modelo austríaco gay que busca a fama nos Estados Unidos, vendeu 30,4 milhões em ingressos entre 10 e 12 de julho.

Mas o filme perdeu 39 por cento de seu público entre sexta e sábado, uma queda grande quando se considera que a maioria dos filmes apresenta crescimento nesse período.

“A Era do Gelo 3” se manteve na segunda posição com vendas de 28,5 milhões de dólares. Depois de 12 dias em cartaz, a animação pré-histórica da 20th Century Fox já acumula 120,6 milhões de dólares nas bilheterias.

O filme foi o mais visto no mercado internacional no fim de semana, arrecadando 98 milhões de dólares em 102 países. Seu total internacional, fora da América do Norte, já chega a 327 milhões de dólares.

O campeão norte-americano no fim de semana passada, “Transformers: A Vingança dos Derrotados”, foi o terceiro colocado, com 24,2 milhões de dólares. Depois de 19 dias o filme já ganhou 339,2 milhões de dólares na América do Norte e 364,5 milhões no resto do mundo, sendo facilmente o maior sucesso comercial do ano, até agora.

O único outro lançamento nos cinemas foi a comédia romântica “I Love You, Beth Cooper”, com Hayden Panettiere no papel-título. Ficou no sétimo lugar nas bilheterias, com vendas modestas de 5 milhões de dólares.

O filme anterior de Sacha Baron Cohen, o igualmente bombástico “Borat”, estreou com 26,5 milhões de dólares em novembro de 2006. Acabou vendendo ao todo 128,5 milhões na América do Norte e outros 133 milhões no resto do mundo.

Como “Borat”, “Bruno” suscita polêmica.

No filme, o personagem homossexual de Baron Cohen percorre a paisagem dos EUA pegando as pessoas que contracenam com ele de surpresa e causando espécie entre o público mais recatado. A maior parte da crítica gostou do filme, mas os grupos de defesa dos direitos dos gays se dividiram em suas reações.

Tanto “Bruno” quanto “Borat” foram dirigidos por Larry Charles, ex-roteirista e produtor de “Seinfeld”.

Pesquisas da Universal indicam que 56 por cento do público que assistiu ao filme nos EUA foi masculino, como aconteceu com “Borat”.

Desta vez, porém 54 por cento das pessoas que assistiram ao filme tinham 25 anos ou mais, ao contrário de “Borat”. Os dois filmes ganharam classificação “R” nos EUA, com a qual menores de 17 anos só os podem ver se estiverem acompanhados de um adulto.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below