Ucrânia proíbe exibição de "Bruno" devido a nudez e sexo gay

quarta-feira, 15 de julho de 2009 17:48 BRT
 

KIEV (Reuters) - A Ucrânia proibiu a exibição de "Bruno", comédia de Sacha Baron Cohen sobre um repórter de moda austríaco gay, por fazer objeção às cenas de nudez e sexo homossexual, disse o Ministério da Cultura na quarta-feira.

O ex-Estado soviético, onde ainda prevalecem visões conservadoras a respeito do homossexualismo, já tinha proibido "Borat", a sátira anterior de Cohen que visou desmascarar o preconceito e o antissemitismo nos EUA.

Uma comissão do Ministério da Cultura concluiu que "Bruno" inclui "a exibição artisticamente injustificada de órgãos e relações sexuais, atos homossexuais de forma flagrantemente explícita, linguajar chulo, sadismo e comportamentos antissociais que podem prejudicar a educação moral de nossos cidadãos".

O novo personagem de Cohen viaja aos Estados Unidos para realizar seu sonho de ser "o maior astro austríaco desde Hitler".

Falas como essa, além de sua sexualidade explícita, das cenas de nudez e de sexo gay chocaram algumas pessoas.

Mas o filme vem se mostrando popular nos EUA e na Grã-Bretanha, onde alcançou o topo das bilheterias.

 
<p>Baron Cohen como seu pol&ecirc;mico personagem Br&uuml;no, em foto de arquivo. REUTERS/Fred Prouser</p>