Indicação ao Emmy por "Farrah's Story" é motivo de alegria e dor

quinta-feira, 16 de julho de 2009 17:17 BRT
 

Por Bob Tourtellotte

LOS ANGELES (Reuters) - A manhã das indicações ao Emmy em Hollywood traz alegria para atores, diretores e produtores que ganham indicações aos prêmios mais importantes da televisão, mas nesta quinta houve uma exceção: Alana Stewart, amiga da atriz Farrah Fawcett e produtora do documentário dela.

Stewart fez "Farrah's Story", que registrou a história da batalha da atriz contra o câncer, encerrada há três semanas com a morte de Fawcett, aos 62 anos. O filme foi indicado na categoria de melhor especial de não ficção para a TV, mas, para Stewart, a indicação tem sabor doce e também amargo.

"É assim que descrevo meu sentimento", disse Stewart à Reuters. "Mas fico feliz por Farrah, porque isso foi tão importante para ela. Ela achou que este documentário foi a coisa mais importante que fez na vida."

Farrah Fawcett ficou famosa nos anos 1970 como uma das estrelas do seriado "As Panteras". Seus longos cabelos loiros eram invejados pelas mulheres, e seu penteado foi copiado em todo o mundo. Mais tarde ela se fez respeitar como atriz, tendo sido indicada ao Emmy por "Cama Ardente", "O Sacrifício Final" e "The Guardian".

Stewart vê a indicação atual como a quarta de Fawcett e acha que ela vai ajudar a consolidar o legado dela, não apenas como ícone de Hollywood dos anos 1970, mas também por seus sucessos como atriz nos anos 1980 e por sua luta pública contra o câncer retal, que mostrou uma mulher corajosa lidando francamente com uma doença fatal.

O documentário de 90 minutos, exibido na NBC apenas seis semanas antes de sua morte, em 25 de junho, foi narrado por Fawcett. O filme faz a crônica de sua luta, desde receber o diagnóstico de câncer, em 2006, até seus dias finais de vida, quando ficava confinada ao leito, uma sombra da pessoa que tinha sido anteriormente.

O público vê momentos de alegria, quando ela pensava que tivesse feito avanços contra a doença, mas também momentos duros, como quando Fawcett sofre a dor e náusea da quimioterapia e quando raspou os cabelos que eram sua marca registrada.

Stewart disse que o mais difícil de filmar "Farrah's Story" foi acompanhar o sofrimento de sua amiga de muitos anos.

Mas a resposta dos fãs têm sido enorme, disse a diretora, que contou ter recebido pilhas de correspondências de muitos espectadores para os quais o documentário humanizou uma estrela de Hollywood que, com sua celebridade, parecia estar além do alcance das doenças comuns.

A realidade que o público viu é que o câncer não escolhe suas vítimas.

 
<p>Foto de arquivo da atriz Farrah Fawcett. 14/06/2000. REUTERS/Rose Prouser</p>