Código Atlântico, de Leonardo Da Vinci, é exposto em Milão

sexta-feira, 17 de julho de 2009 15:00 BRT
 

Por Nigel Tutt

MILÃO (Reuters) - O Código Atlântico, de Leonardo Da Vinci, considerada a obra que reúne a mais ampla variedade de ideias do gênio da Renascença, será exposto a partir de setembro, numa apresentação que exibirá todas as 1.119 páginas da obra em seis anos.

Milão teve uma mostra da exposição na sexta-feira, com a exibição de duas páginas do código, cujo nome original é Codex Atlanticus, na prefeitura. A exposição completa ocorrerá até 2015 na Exposição Universal de Milão.

"Há diferentes tipos de páginas, algumas apenas escritas e incluindo fábulas e histórias engraçadas pelo escritor, assim como desenhos de engenharia e receitas de culinária", disse à Reuters Don Francesco Braschi, da Biblioteca Ambrosiana de Milão, a 'casa' do código.

"Há um pouco de tudo", afirmou ele, comparando o Código Atlântico com o volume concomitante do Castelo Real de Windsor, na Inglaterra. Este volume concentra-se principalmente em anatomia e medicina e outros códigos mais breves escritos por Da Vinci.

Para muitos, Da Vinci é mais conhecido como o pintor da "Mona Lisa", mas ele também escreveu ao longo de sua carreira artística.

As duas páginas em exposição até o fim de agosto na prefeitura da cidade incluem o desenho de compassos e de ações navais a serem executadas contra uma frota inimiga.

Muitos dos desenhos inovadores de Da Vinci eram para máquinas de guerra e para a construção. Eles incluem guindastes, instrumentos de engenharia, máquinas voadoras, roupas para andar debaixo da água e equipamento para andar sobre a água.

Na exposição completa, que ocorrerá a partir de setembro, a Ambrosiana exibirá todo o Código Atlântico colocando em exposição 25 novas páginas a cada três meses. A exibição do trabalho completo levará seis anos, disse Braschi.

As páginas estão em "muito boas" condições sem bactérias nem mofo, afirmou Braschi.