Revistas de negócios dos EUA enfrentam reacomodação

terça-feira, 21 de julho de 2009 18:59 BRT
 

Por Robert MacMillan

NOVA YORK (Reuters) - Algumas revistas de negócios dos Estados Unidos podem não sobreviver à atual recessão, que as força a enfrentar cortes pesados de orçamentos publicitários e concorrência elevada, muitas vezes por parte de rivais gratuitos online.

As editoras de publicações de negócios pareciam satisfeitas quando começaram a surgir manchetes sobre a crise, no final do ano passado, supondo que o colapso financeiro resultaria em lucros extraordinários devido ao interesse reforçado pelas suas reportagens.

Mas não foi isso o que aconteceu na prática. O apetite por notícias nem sempre se traduziu em receita, especialmente em um momento no qual blogs, agências de notícias, como Bloomberg e Thomson Reuters, e outros veículos começam a disputar o território da análise noticiosa que, por muito tempo, esteve reservado às grandes revistas.

As três grandes revistas de economia dos EUA, BusinessWeek, Fortune e Forbes, agora precisam provar que continuam relevantes. Se não conseguirem fazê-lo, ao menos uma delas poderia fechar as portas, de acordo com os especialistas.

"Não creio que as três grandes devam se manter ou ao menos manter a mesma situação de concorrência que hoje enfrentam, dentro de um ano ou até mesmo seis meses," disse Kevin Gentzel, presidente e publisher da Forbes Media.

Questões quanto ao futuro das três grandes revistas surgiram na semana passada, depois que a McGraw-Hill colocou à venda a BusinessWeek, revista criada pela editora em 1929.

Os problemas das revistas de economia refletem uma erosão mais ampla na mídia impressa em geral. Muitos dos anunciantes tradicionais dessas publicações estão desviando porções maiores daquilo que resta de seus orçamentos publicitários para a Internet, em lugar de manter o investimento em mídia impressa, diz Martha Cleary, compradora de publicidade na Carat USA.

"Todo mundo está perguntando duas coisas," diz Cleary, cujo principal cliente é a Philips Electronics, grande compradora de publicidade em revistas. "O que podemos fazer nas mídias sociais, e como podemos conseguir publicidade mais barata?"