July 31, 2009 / 3:25 PM / 8 years ago

Matança de golfinhos no Japão é tema de novo filme

3 Min, DE LEITURA

<p>Golfinhos selvagens no oceano, pr&oacute;ximo &agrave; ilha Mikura, sul de T&oacute;quio. 03/08/2008.Yuriko Nakao</p>

Por Christine Kearney

NOVA YORK (Reuters) - Um novo filme mostra pescadores japoneses atraindo milhares de golfinhos selvagens a um local escondido no Japão, onde ativistas dizem que os animais são capturados para entreter parques marinhos ou são massacrados para virar comida.

"The Cove" segue um grupo de ativistas, incluindo o ex-treinador de golfinhos da série de televisão "Flipper", Ric O'Barry.

Eles enfrentaram a polícia japonesa e pescadores para conseguir acesso a um abrigo em Taiji, no Japão, onde um arame farpado bloqueia o acesso de pessoas para impedir a filmagem do assassinato de golfinhos que começa em setembro a cada ano.

O documentário será lançado nos Estados Unidos nesta sexta-feira, mas ainda será distribuido no Japão, onde O'Barry diz que 23 mil golfinhos e botos são legalmente assassinados a cada ano.

O governo do Japão diz que não há nada de errado e cita diferenças culturais em resposta ao filme.

A carne de golfinho é utilizada como alimento em um porcentagem muito pequena da população japonesa.

O filme foi elogiado por críticos e ganhou o prêmio de público do Festival de Filmes Sundance este ano. "Documentários eco-ativistas não recebem tanta aclamação quando 'The Cove'", disse uma resenha da revista Variety.

O'Barry, que visitou Taiji muitas vezes por ano pelos últimos oito anos e agora veste uma máscara na cidade para evitar a atenção de pescadores ou da polícia, antecipou que o filme terá um grande impacto.

"Quando o filme for visto no Japão, eles irão suspender as ativitidades 'do abrigo' permanentemente", disse em uma entrevista recente.

O ativista de 69 anos disse que começou a lutar contra a captura de golfinhos quando um dos golfinhos que ele treinava para a série "Flipper", dos anos 1960, parou de respirar até morrer.

"Ric é um herói", disse o diretor do filme, Louie Psihoyos, que foi fotografado pela revista National Geographic. "Ele fez sucesso, ele fez fama, ele ganhou dinheiro e ele se voltou a esses assuntos ao seguir sua consciência."

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below