Juiz aprova acordo sobre patrimônio de Michael Jackson

terça-feira, 18 de agosto de 2009 08:42 BRT
 

LOS ANGELES (Reuters) - Um juiz aprovou na segunda-feira um acordo para a venda de produtos vinculados a Michael Jackson, mas adiou a decisão sobre uma exibição itinerante dedicada ao Rei do Pop, após objeções da mãe do cantor.

O juiz da Corte Superior de Los Angeles, Mitchell Beckloff, que está supervisionando os assuntos relacionados ao espólio de Michael Jackson, aprovou o acordo entre os coexecutores do testamento de Jackson e o Bravado International Group, uma divisão da Universal Music.

Mas Beckloff adiou até sexta-feira uma decisão sobre se aprovará um show promovido pela AEG Live para uma exibição itinerante em homenagem a Jackson.

O juiz adiou a decisão com base nas objeções de advogados da mãe do cantor, Katherine, que disseram que a exibição pode não trazer dinheiro suficiente ao espólio.

Em 7 de agosto, Beckloff aprovou um acordo entre o espólio de Jackson, a AEG Live e a Columbia Pictures, uma divisão da Sony Corp, para um filme a ser lançado em 30 de outubro, usando imagens dos últimos ensaios do popstar.

Os responsáveis pelo testamento de Jackson, o advogado de longa data John Branca e o produtor executivo de música John McClain, disseram que os acordos irão trazer milhões de dólares ao espólio.

Separadamente, o pai de Michael Jackson disse que o enterro de seu filho será em um cemitério de Los Angeles no dia 29 de agosto, quando ele completaria 51 anos, informou o jornal New York Daily News na segunda-feira.

Reportagens da mídia norte-americana na semana passada disseram que Jackson, que morreu de parada cardíaca no dia 25 de junho, tinha sido enterrado em uma cerimônia privada no começo de agosto. Mas essas notícias eram baseadas em fontes não identificadas e nunca foram confirmadas por representantes da família Jackson.

A razão por trás da parada cardíaca de Jackson ainda continua um mistério. O Instituto Médico Legal de Los Angeles concluiu os relatório da autópsia, mas as descobertas continuam em sigilo enquanto a polícia conclui suas investigações.

A polícia apura se a prescrição de remédios para o cantor por parte de um médico que cuidava dele semanas antes da morte pode ter causado o óbito de Jackson.

(Reportagem de Alex Dobuzinskis)

 
<p>Foto de arquivo do cantor norte-americano Michael Jackson em Santa Maria. 13/06/2005. REUTERS/Phil Klein</p>