ESTREIA-"Veronika decide Morrer" traz atriz de "Buffy"

quinta-feira, 20 de agosto de 2009 16:35 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - "Veronika Decide Morrer" é o primeiro romance do escritor brasileiro Paulo Coelho a chegar aos cinemas do Brasil. O mesmo livro tem uma adaptação japonesa que aparentemente nunca foi lançada fora de seu país.

A versão oficial, enfim, estreia no Brasil, com Sarah Michelle Gellar (a protagonista da série "Buffy, a Caça-Vampiros"), David Thewlis ("Harry Potter e a Ordem da Fênix) e Melissa Leo ("Rio Congelado"), sob a direção da inglesa Emily Young.

Sarah Michelle é a Veronika do título, uma jovem com um bom emprego, um belo apartamento em Nova York e um grande vazio dentro de si. A depressão é tão grande que ela sucumbe. Ao som da banda Radiohead, ela toma um monte de comprimidos para se matar - mas antes encontra tempo para mandar um e-mail para uma revista de moda, reclamando que eles não entendem nada da última estação.

Dias depois, Veronika acorda numa clínica psiquiátrica, sob os cuidados do Dr. Blake (Thewlis), cuja ética profissional parece estar em terceiro ou quarto plano - bem depois de seus interesses amorosos ou experimentais. O médico diz para a moça que ela não terá muito tempo de vida, pois seu coração foi afetado pela tentativa de suicídio frustrada e não há cura.

Então, Veronika, que tanto queria abandonar este mundo cruel, decide viver. Nesse momento, o longa roteirizado por Larry Gross ("Crime Verdadeiro") e Roberta Hanley acompanha o cotidiano da personagem na clínica Villette.

Lá ela interage com outros pacientes cheios de problemas emocionais - como a advogada Mari (Melissa), a colega de quarto Claire (Erika Christensen, de "Plano de Voo") e o solitário Edward (Jonathan Tucker, de "O Massacre da Serra Elétrica").

Na clínica, Veronika passa a prestar atenção em seus colegas e no médico. Nota, por exemplo, que Mari facilmente manipula Edward, por quem a protagonista começa a sentir alguma afeição. Mais tarde, o médico é procurado por um representante da revista de moda atacada por Veronika - mas, estranhamente, esse episódio não faz sentido algum no filme. Aliás, nem se justifica existir, pois não há outra referência na história depois.

Alguns momentos de "Veronika Decide Morrer" parecem uma versão zen e mal dirigida do drama "Garota, Interrompida", com a desvantagem de não ter nenhum personagem ou ator com a energia de Angelina Jolie. Na maior parte do tempo, este drama funciona como um sonífero.

Sarah Michelle costumava se sair bem na série de televisão "Buffy...", na qual passa a maior parte do tempo perseguindo criaturas estranhas. Aqui, quando poderia mostrar alguma habilidade dramática, ela não convence como a depressiva, nem como uma pessoa que resgatou o prazer de viver.   Continuação...