Operários tiram a roupa na França para tentar salvar emprego

segunda-feira, 24 de agosto de 2009 14:00 BRT
 

PARIS (Reuters) - Trabalhadores de uma fábrica de caldeiras na França tiraram a roupa e posaram nus para um calendário em uma tentativa de salvar 204 empregos em meio à crise.

A equipe da fábrica Chaffoteaux et Maury, na Bretanha, vai usar os recursos para pagar uma viagem à Itália, onde pretendem protestar contra a matriz da empresa, a Ariston Thermo Group (ATG). A direção da empresa pretende encerrar as operações no norte da França.

"Nosso objetivo é mostrar que há trabalhadores aqui que fazem qualquer coisa para salvar seus empregos, mesmo tirar a roupa", disse Brigitte Coadic, representante sindical e responsável pelo calendário, que deve ser divulgado nos próximos meses.

A ideia é só a mais recente de uma série de protestos na França: já houve sequestro de chefes, ameaças de explosão a fábricas ou de poluição ao rio Sena, além do tradicional protesto dos fazendeiros de vender a preços abaixo do mercado.

Mas Coadic insiste que a ação de Chaffoteaux, em que 13 homens posam nus apenas com máscaras e capacetes, é completamente pacífica.

"Não queremos destruir nada", disse. "Queremos mostrar o que podemos fazer, dizer à gerência que, se eles nos mantiverem, podemos transformar essa atenção da mídia em algo positivo".

Coadic diz ter se inspirado no calendário "Deuses do Estádio", com integrantes do time parisiente de rúgbi Stade Français. O projeto também ecoa o filme britânico "Ou Tudo ou Nada", de 1997.

(Reportagem de Vicky Buffery)