Doce ou seco? O vinho que você escolhe revela sua personalidade

quarta-feira, 26 de agosto de 2009 12:52 BRT
 

NOVA YORK (Reuters) - O gosto por Sauvignon Blanc e Chardonnay ou a preferência por Bordeaux ou Zinfandel podem indicar mais que apenas uma preferência em termos de vinho. É possível que também sejam indicativos de traços da personalidade.

Uma pesquisa de cientistas da Austrália e Grã-Bretanha mostra que as pessoas que preferem vinhos de sabor doce apresentam tendência maior a ser impulsivas, enquanto aquelas que optam por vinhos secos são mais abertas.

"Os participantes cuja preferência é pelo sabor doce tiveram escore de impulsividade significativamente maior que seus colegas que preferem vinhos secos", disseram no estudo Anthony J. Saliba, da Universidade Charles Sturt, de Wagga Wagga, Austrália, e seus colegas.

Juntamente com Saliba, Kate Wragg e Paul Richardson, da universidade inglesa de Sheffield Hallam, disseram que, além de impulsividade e abertura, nenhum outro traço de personalidade diferiu significativamente entre os dois grupos.

"Existe alguma base de apoio para a ideia de que a preferência pelo doce se desenvolve cedo nos humanos e, desse modo, pode alimentar o desenvolvimento da impulsividade", disseram os pesquisadores, que divulgaram sua descoberta no periódico Food Quality and Preference.

Eles testaram as preferências em matéria de vinho de 45 pessoas de Sheffield, na Inglaterra, e as dividiram em dois grupos, segundo sua preferência por vinhos doces ou secos.

Cada grupo também foi submetido a testes de personalidade para avaliar sua impulsividade, empatia, abertura, conscienciosidade, extroversão, amabilidade e neurose.

Os pesquisadores disseram que há sinais de que a preferência pelo sabor doce varia ao longo da vida. Ela parece ser maior na infância, diminuindo no final da adolescência.

Eles pediram mais estudos para determinar se existe ou não uma relação de causa e efeito entre impulsividade e sabor doce.

(Reportagem de Patricia Reaney)

 
<p>Ta&ccedil;as e garrafas de vinho tinto Chateau Canon em Saint Emilion. 20/05/2008. REUTERS/Regis Duvignau</p>