Paul McCartney chama boatos sobre sua morte de "ridículos"

quarta-feira, 26 de agosto de 2009 17:16 BRT
 

LONDRES, 26 de agosto (Reuters Life!) - O ex-Beatle Paul McCartney descreveu como "ridículos" os rumores sobre sua morte, que surgiram há mais de 40 anos, mas disse que eles eram "ossos do ofício" para quem estava em uma das maiores bandas do mundo.

A teoria conspiratória começou em outubro de 1969, quando um DJ de Detroit disse que os outros três Beatles --Ringo Starr, John Lennon e George Harrison-- haviam procurado um sósia para substituir McCartney, que teria morrido em 1966.

Ele argumentava que o homem "interpretando" McCartney na capa do álbum "Abbey Road", por ter os pés descalços, representava um cadáver. Além disso, a placa de um carro na imagem era LMW 28IF, mostrando a idade de Paul se ele estivesse vivo.

"Era engraçado, na verdade", disse McCartney, de 67 anos, à revista MOJO. "Mas ridículo. São ossos do ofício: as pessoas inventam uma história e você se vê obrigado a lidar com essa ficção".

"Acho que a pior coisa era que eu percebia as pessoas olhando para mim com mais atenção, como se pensassem 'Será que as orelhas dele sempre foram assim?'"

Ele disse que estava descalço na capa de "Abbey Road" porque tirou as sandálias, e que o carro estacionado era "aleatório".

"Foi uma loucura", completou.

(Reportagem de Mike Collett-White)

 
<p>O ex-Beatle Paul McCartney (em foto de arquivo) acha "rid&iacute;culos" os rumores sobre sua morte. REUTERS/Shannon Stapleton</p>