"Mona Lisa" ganha vida em exposição de arte high-tech

quinta-feira, 27 de agosto de 2009 11:45 BRT
 

Por Hanna Rantala

PEQUIM, 27 de agosto (Reuters Life!) - Com seu sorriso enigmático, a "Mona Lisa" de Leonardo da Vinci inspira admiração e especulação há séculos. Agora ela está preparada para responder às perguntas dos curiosos --em mandarim.

Uma versão digital e interativa da renomada tela do século 16 é uma das 61 réplicas high-tech que infundem vida a obras de arte da antiguidade e da era clássica na "Exposição Mundial de Arte Clássica Interativa," aberta em Pequim na semana passada.

São recriações de obras de grandes mestres da pintura e pintores modernos renomados, criadas por uma galeria de arte sul-coreana. O organizador da mostra, Wang Hui, comentou que foram precisos dois anos de preparativos, além de um investimento de vulto, para levar as obras à China.

"O que é especial nesse trabalho é que é a primeira vez em que tecnologia 3D, tecnologia holográfica e tecnologia de reconhecimento de voz são mescladas em uma só exposição," disse Wang à Reuters.

Como a pintura original de Da Vinci, que está no Louvre, em Paris, a Mona Lisa digital é a atração principal da mostra. Ela acena para os visitantes e conversa com eles, que lhe fazem perguntas sobre sua idade e sua vida.

"Alô, sou a Mona Lisa. É um prazer conhecê-lo," diz ela em mandarim.

"A Última Ceia" é outra tela de Da Vinci que ganha vida digital. Nela, Jesus conversa com os apóstolos e se move pela tela de plasma.

A exposição também inclui uma peça multimídia com réplicas em tamanho natural de estátuas antigas de deuses e deusas gregos e romanos, que se gabam de suas virtudes e beleza e fazem poses.   Continuação...

 
<p>Um visitante olha para uma vers&atilde;o em hologr&aacute;fico da Mona Lisa em Pequim. 21/08/2009. REUTERS/David Gray</p>