ESTREIA-Em "Amantes", personagem quer superar depressão com amor

quinta-feira, 27 de agosto de 2009 14:40 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - "Amantes", que estreia no Brasil nessa sexta-feira, é filme que poderia ser extremamente óbvio - mas não é. Escrito e dirigido por James Gray, esse drama romântico tem uma premissa que lembra um famoso poema de Drummond. Aqui, Sandra ama Leonard, que ama Michelle, que ama Ronald, que não a ama o suficiente para abandonar a esposa e filho e ficar com ela. E todos sofrem por isso.

"Amantes" marca um amadurecimento do norte-americano Gray, mais conhecido por seus dramas policiais "Caminho Sem Volta" (2000) e "Os Donos da Noite" (2007). Aqui, trabalhando a partir de um roteiro que escreveu em parceria com Ric Menello, o cineasta aborda novamente um tema que lhe é caro: o papel da família na vida das pessoas. Os laços que unem podem tanto ser de amor como de desprezo, podem tanto ajudar, quanto oprimir.

Leonard (Joaquin Phoenix, em seu último trabalho antes de surtar publicamente no começo do ano) é um rapaz deprimido. Na primeira cena ele tenta se matar, se atirando de um píer em Brighton Beach.

Mais tarde, cicatrizes no pulso mostram que essa não foi a primeira tentativa. Preocupados, seus pais, Ruth (Isabella Rosselini) e Reuben (Moni Moshonov), armam um encontro entre ele e Sandra (Vinessa Shaw, de "De Olhos Bem Fechados"), a filha de um dono de uma rede de lavanderias com a qual Reuben espera fundir a sua pequena loja do mesmo ramo.

O relacionamento entre os dois jovens seria bom tanto para eles, individualmente, quanto para os negócios das famílias.

Embora se deixe levar pelas circunstâncias, Leonard é uma alma perdida, que vaga solitária até conhecer sua nova vizinha, Michelle (Gwyneth Paltrow). Ela parece ser o oposto dele, alegre, de bem com a vida, bem-sucedida e luminosa.

Mas, aos poucos, percebe-se que isso não passa de uma máscara que esconde a verdadeira Michelle, melancólica, autodestrutiva e vivendo um relacionamento complicado com um homem casado (Elias Koteas).

O drama central de "Amantes" é atemporal e poderia acontecer em qualquer lugar do mundo - não fossem pelos celulares bastante usados para comunicação entre os personagens.

O roteiro busca inspiração numa novela do russo Dostoievski chamada "Noites Brancas" (adaptada mais fielmente para o cinema em 1957, com a direção de Luchino Visconti, que no Brasil se chamou "Um Rosto Na Noite").   Continuação...

 
<p>Foto de arquivo do ator Joaquin Phoenix em Los Angeles. 01/11/2008. REUTERS/Mario Anzuoni</p>