Poeta que escreveu hino da ex-URSS morre aos 96

quinta-feira, 27 de agosto de 2009 17:03 BRT
 

MOSCOU (Reuters) - Sergei Mikhalkov, que escreveu o hino nacional da União Soviética sob a ditadura de Josef Stalin e o adaptou para uma nova geração de russos durante o mandato de Vladimir Putin, morreu nesta quinta-feira aos 96 anos.

Mikhalkov, que também escrevia poesia para crianças, faleceu em um hospital de Moscou, segundo a agência de notícias Itar-Tass, citando seus familiares.

Os versos patrióticos que escreveu em 1944, pródigos em elogios a Stalin, substituíram a "Internacional Comunista", cujos clamores por uma revolução comunista global não se harmonizavam com as alianças feitas nos tempos da guerra.

Com música de Alexander Alexandrov, o hino foi dedicado à força da União Soviética e a batalhas vitoriosas do futuro.

Os versos, escritos com Gabriel El-Registan, foram abandonados na década de 1950, quando Nikita Khrushchev lançou sua breve campanha de "desestalinização".

O hino então foi tocado sem letra até a década de 1970, quando Mikhalkov o adaptou para substituir Stalin pelo fundador do Estado soviético, Vladimir Lenin.

Após o colapso do comunismo e da União Soviética, a Rússia adotou uma nova melodia com base na música de Mikhail Glinka.

A letra não foi retomada até 2000, quando Putin, presidente eleito pouco tempo antes, decidiu reviver o refrão da era soviética, popular entre muitos russos, mas detestado por liberais como um símbolo da tiranía de Stalin.

Mikhalkov, a quem foi pedido que reformulasse o hino e retirasse dele referências da era de Stalin, se transformou em um dos poetas mais condecorados na União Soviética.

O primeiro ministro Putin e o presidente Dmitry Medvedev enviarão condolências à família de Mikhalkov.

(Reportagem de Oleg Shchedrov)