9 de Setembro de 2009 / às 14:41 / 8 anos atrás

Semana de Moda de NY quer incentivar consumidores a gastar

<p>A Semana de Moda de Nova York come&ccedil;a nesta quinta-feira com o prop&oacute;sito de incentivar o consumo. REUTERS/Cynthia Karam</p>

Por Michelle Nichols

NOVA YORK (Reuters) - A Semana de Moda de Nova York começa nesta quinta-feira com uma mensagem simples para os consumidores interessados em estilo: gastem, gastem, gastem.

Os estilistas esperam inspirar confiança nos consumidores enquanto reavaliam o funcionamento do setor da moda durante a pior recessão dos últimos 70 anos nos EUA, durante a qual as vendas dos varejistas americanos vêm caindo mensalmente há um ano.

A Semana de Moda de Nova York, que acontece duas vezes ao ano e é seguida pelas semanas de moda de Londres, Milão e Paris, é promovida para que varejistas e a mídia vejam as tendências futuras da moda, mas os consumidores têm que esperar seis meses para ver essas novas tendências presentes nas lojas.

A estilista Diane von Furstenberg, diretora do Conselho de Estilistas de Moda dos EUA, disse: “A Semana de Moda tem confundido os consumidores. Eles veem coisas nos jornais, então vão às lojas e encontram coisas completamente diferentes.”

Esta semana serão vistas tendências para a primavera e o verão de 2010, mas muitas lojas estão oferecendo roupas de outono e inverno. Mas ainda está fazendo calor em Nova York, e essas roupas provavelmente serão oferecidas com desconto quando o frio chegar.

Com o índice de desemprego em 9,7 por cento nos EUA, os consumidores vêm reduzindo suas compras dramaticamente.

Os consumidores americanos compraram em média 64 peças de roupa e sete pares de calçados em 2008, contra 67 peças de roupa e oito pares de calçados em 2007, revelou a Associação Americana de Roupa e Calçados.

“A recessão vem sendo muito assustadora,” disse à Reuters a estilista Vera Wang.

A moda é a segunda maior indústria de Nova York, perdendo apenas para o setor financeiro. A cidade sedia mais de 800 empresas de moda, emprega 175 mil pessoas e gera 10 bilhões de dólares em salários.

“Cabe à indústria da moda esforçar-se ao máximo e criar coisas que levem as pessoas a dizer ‘não posso deixar de comprar isso,'” disse Fern Mallis, vice-presidente sênior da IMG Fashion, que promove o evento de Nova York, conhecido oficialmente como Semana da Moda Mercedes-Benz.

Para tentar persuadir os consumidores a gastar, a Semana de Moda de Nova York vai começar na quinta-feira com “Fashion’s Night Out,” uma iniciativa da editora da revista Vogue americana, Anna Wintour.

A Vogue está organizando uma promoção pela qual lojas ficarão abertas até tarde para “celebrar a moda” em Nova York, Inglaterra, Grécia, Itália, Rússia, França, Brasil, Índia, Espanha, China, Alemanha, Japão e Taiwan.

“Precisamos fazer o consumidor se engajar e compreender a importância do que faz - que não está fazendo compras apenas para ele, mas para fazer uma diferença no mundo e manter uma indústria que é necessária,” disse a estilista Donna Karan.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below