Joalheria Fabergé procura ricos online

quarta-feira, 9 de setembro de 2009 12:26 BRT
 

Por Eric Onstad

GOODWOOD HOUSE, Inglaterra (Reuters) - A empresa de luxo Fabergé, cuja antecessora do mesmo nome criou ovos com pedras preciosas para os czares da Rússia, pretende vender na Internet sua primeira coleção de joias, com valores que chegam a 7 milhões de dólares por peça.

O grupo, uma sociedade limitada, quer ingressar no competitivo mercado de produtos de luxo com investimentos limitados durante a recessão, visando eventualmente desafiar gigantes como Bulgari e Cartier.

"Decidimos ser ousados. Vimos o momento atual como uma oportunidade enorme", disse na quarta-feira o executivo-chefe da Fabergé, Mark Dunhill, no lançamento da empresa.

A Fabergé quer atrair ricos através de seu site na Internet, mostrando joias com milhares de pedras preciosas incrustadas, e depois concretizar as vendas em apresentações fechadas.

Ela poupará milhões de dólares em investimentos ao evitar o modo tradicional de vendas em cadeias de butiques de luxo e, inicialmente, terá apenas uma loja, em Genebra.

"Quando se monta uma cadeia de lojas, assumem-se riscos enormes", disse Dunhill, anteriormente presidente da Alfred Dunhill, a grife de couros e acessórios da fabricante suíça de artigos de luxo Richemont. "Estamos lançando um modelo pioneiro."

A Fabergé espera que os ricos que queiram uma experiência exclusiva naveguem primeiro para seu site. Dunhill disse que uma pesquisa com milionários mostrou que 95 por cento fizeram sua última aquisição na Internet.

"Se você pretende gastar 1 milhão de dólares com uma pulseira, por que não fazer o designer vir até seu iate e lhe mostrar a pulseira pessoalmente?", disse Dunhill.   Continuação...