Novo filme de Romero, "rei dos zumbis," critica discriminação

quarta-feira, 9 de setembro de 2009 16:37 BRT
 

Por Mike Collett-White

VENEZA (Reuters) - O rei dos zumbis George A. Romero não tinha nenhum conflito especial em mente quando fez "Survival of the Dead," o sexto filme de sua franquia de terror que começou há anos, mas pensou em fazer uma crítica à discriminação.

Mais de 40 anos depois de "A Noite dos Mortos-Vivos" ter lançado sua carreira, em 1968, o diretor norte-americano de 69 anos está de volta a suas raízes no cinema independente, com um filme que participa da competição principal no festival de cinema de Veneza.

O autofinanciado "Survival of the Dead" conta a história de um grupo de soldados atraído para uma ilha que promete ser o único lugar do mundo onde eles poderão escapar dos mortos-vivos, que surgem do nada e se alimentam de carne humana.

Mas eles se envolvem numa disputa antiga entre duas famílias que têm ideias radicalmente diferentes sobre como conter os zumbis.

Patrick O'Flynn quer pôr uma bala na cabeça de cada zumbi que encontrar. Seu grande rival, Samus Muldoon, que manter os "mortos" vivos na esperança de encontrar uma cura.

"Não pensei em fazer um filme sobre o Iraque," disse Romero a jornalistas na quarta-feira.

"É muito mais sobre a incapacidade fundamental do homem de esquecer as inimizades, esquecer seus inimigos, muitos depois de já ter esquecido o que fez o conflito começar."

RETORNO ÀS RAÍZES INDEPENDENTES   Continuação...

 
<p>O diretor norte-americano George A. Romero lan&ccedil;a "Survival of the Dead" em Veneza REUTERS/Eddie Keogh</p>