Bobby e Jackie Kennedy: uma tragédia grega moderna

quarta-feira, 9 de setembro de 2009 18:10 BRT
 

Por Nick Olivari

NOVA YORK (Reuters) - A saga da família Kennedy já parecia uma tragédia grega na história norte-americana recente, mas um livro que diz revelar um caso amoroso entre Robert F. Kennedy e sua cunhada acrescenta mais um capítulo ao drama.

"Bobby and Jackie: A Love Story" de C. David Heymann, de 64 anos, descreve o romance entre Bobby Kennedy e a ex-primeira-dama Jacqueline Lee Bouvier Kennedy.

Heymann disse que o romance começou nos meses seguintes ao assassinato do presidente John F. Kennedy em Dallas, em 1963, e terminou perto da época em que Robert anunciou sua própria campanha para presidente no início de 1968.

Robert Kennedy foi o amor da vida de Jackie, disse Heymann.

"Jackie e Bobby tinham uma ligação intelectual muito mais próxima do que Jackie e John", acrescentou ele em uma entrevista.

A pesquisa para o livro começou em 1983. As entrevistas de Heymann se concentraram em pessoas próximas do casal, incluindo Pierre Salinger, secretário de imprensa do presidente John Kennedy. Sua busca por provas documentais incluiu relatórios do Serviço Secreto e do FBI disponibilizados graças ao Ato de Liberdade de Informação.

O livro demonstra empatia e reconhece que a elite do poder dos EUA com frequência joga com regras diferentes, especialmente nas décadas anteriores e posteriores à Segunda Guerra Mundial, quando a imprensa não se concentrava tanto nas vidas pessoas dos políticos.

"Havia afeto ali", disse Heymann. "Eles foram unidos pela dor comum de perder a pessoa de quem eram mais próximos".

(Reportagem de Nick Olivari)