Comédia dos EUA e filme de guerra lideram briga em Veneza

sexta-feira, 11 de setembro de 2009 12:17 BRT
 

Por Mike Collett-White e Silvia Aloisi

VENEZA (Reuters) - Uma comédia norte-americana de humor negro, o ataque de Michael Moore ao capitalismo e um filme de guerra israelense doloroso estão entre os favoritos da crítica para receber o cobiçado Leão de Ouro de melhor filme no festival de cinema de Veneza, no sábado.

É sabidamente difícil prever o que decidirão os júris de festivais de cinema, e jurados e críticos frequentemente discordam em suas avaliações, mas Veneza 2009, com 25 filmes na competição principal, vem sendo visto como melhor que o festival decepcionante do ano passado.

E, com George Clooney, Matt Damon, Nicolas Cage, Eva Mendes, Isabelle Huppert, Viggo Mortensen e o veterano egípcio Omar Sharif percorrendo o tapete vermelho, o festival de cinema mais antigo do mundo teve sua devida parcela de astros este ano.

"Foi um avanço marcante em relação a 2008, que foi um ano muito difícil para todos os festivais", disse Deborah Young, do The Hollywood Reporter. "Falando como crítica, os filmes deste ano valem a pena ser vistos."

Todd Solondz agradou com sua comédia de humor negro "Life During Wartime", uma espécie de sequência de seu aclamado filme "Felicidade", acompanhando a família disfuncional Jordan em uma história de abusos, pedofilia e suicídio que emprega humor e sátira cortante.

O Hollywood Reporter descreveu o diretor norte-americano como "o verdadeiro herdeiro de Woody Allen". Indagado sobre a comparação, Solondz disse à Reuters: "Eles não diriam isso se eu me parecesse com Tom Cruise."

Outro filme que uniu as opiniões foi "Lebanon", em que o cineasta israelense Samuel Maoz procura recriar a claustrofobia e o medo que sentiu aos 20 anos de idade, quando era soldado alistado a contragosto no conflito de 1982, rodando a maior parte da ação desde o interior de um tanque.

Maoz ficou tão traumatizado com suas memórias que levou 25 anos para criar coragem de fazer o filme, que o New York Times descreveu como "uma obra de cinema estarrecedora".   Continuação...