Protestos iranianos chegam à tela grande no Festival de Veneza

sexta-feira, 11 de setembro de 2009 17:45 BRT
 

Por Silvia Aloisi

VENEZA (Reuters) - A diretora iraniana Hana Makhmalbaf, 21, levou à tela grande os sangrentos protestos de rua que se seguiram à eleição presidencial de junho no Irã, em um filme que destaca as esperanças e frustrações dos jovens desse país.

"Green Days" mostra o período que antecedeu a eleição e traz entrevistas com jovens comuns, na maioria partidários do candidato oposicionista Mirhossein Mousavi.

O filme mistura elementos fictícios com imagens não editadas das manifestações cada vez maiores de protesto dos partidários de Mousavi, vestidos de verde, depois de Mahmoud Ahmadinejad ter sido declarado vitorioso no pleito. Também se vê a repressão brutal movida pelas forças de segurança.

Depois de o governo ter imposto restrições à mídia independente e estrangeira, algumas das imagens foram filmadas pelos próprios manifestantes em seus telefones celulares.

Uma das imagens mostra a morte de Neda Agha-Soltan, a jovem que virou símbolo dos protestos.

O pai da diretora, Mohsen Makhmalbaf, um cineasta respeitado, hoje é porta-voz de Mousavi no exterior, e Hana contou que teve de sair do Irã depois da eleição porque o governo queria prendê-la.

Ela terminou de editar o filme em um local secreto da Itália para evitar a censura iraniana.

"Ahmadinejad me pode expulsar do Irã, ele pode expulsar a mídia estrangeira do Irã, mas não pode expulsar todas as Nedas e as pessoas que pensam como ela", disse Makhmalbaf à Reuters, falando com a ajuda de intérprete.   Continuação...