Morre Patrick Swayze, protagonista de "Ghost" e "Dirty Dancing"

terça-feira, 15 de setembro de 2009 08:15 BRT
 

Por Dan Whitcomb e Jill Serjeant

LOS ANGELES (Reuters) - O ator Patrick Swayze, famoso pela atuação como um professor de dança em "Dirty Dancing", nos anos 1980, morreu na segunda-feira aos 57 anos depois de uma longa luta contra um câncer no pâncreas.

Swayze, ator e dançarino que consolidou seu status ao contracenar com Demi Moore no romance "Ghost", em 1990, morreu em casa.

"Patrick Swayze faleceu pacificamente hoje com a família a seu lado depois de enfrentar os desafios de sua doença nos últimos 20 meses", afirmou a agente Annett Wolf em comunicado.

Swayze se tornou uma das maiores estrelas de Hollywood com o filme "Dirty Dancing", de 1987, que desafiou as expectativas do ramo ao se tornar um dos filmes mais vistos de todos os tempos.

Swayze foi diagnosticado com câncer pancreático em estágio 4, uma das formas mais mortais da doença, em janeiro de 2008. Ele afirmou na época que o câncer já havia se espalhado até o seu fígado.

Mas ele optou por combater a doença e foi tratado com drogas experimentais. Swayze surpreendeu Hollywood ao rodar uma nova série de detetives para a televisão chamada "The Beast", no qual interpreta o papel principal.

A série foi ao ar no início deste ano.

"Dirty Dancing", que foi realizado com um orçamento modesto e quase foi descartado pelo estúdio, se tornou um grande sucesso de bilheteria, sendo indicado ao Globo de Ouro pelos dois atores e levando o Oscar pela canção "(I've Had) The Time of My Life".

Em 1990, "Ghost" foi um sucesso ainda maior do que "Dirty Dancing", arrecadando mais de 217 milhões de dólares nos Estados Unidos e 505 milhões de dólares pelo mundo.

 
<p>Foto de arquivo de Patrick Swayze e sua esposa Lisa Niemi participam de premiere em Hollywood. O ator, famoso pela atua&ccedil;&atilde;o como um professor de dan&ccedil;a em "Dirty Dancing", nos anos 1980, morreu na segunda-feira aos 57 anos depois de uma longa luta contra um c&acirc;ncer no p&acirc;ncreas.14/09/2009.REUTERS/Mario Anzuoni/Files</p>