Hollywood chora a morte de Patrick Swayze e saúda sua coragem

terça-feira, 15 de setembro de 2009 17:33 BRT
 

Por Steve Gorman

LOS ANGELES (Reuters) - A atriz Jennifer Grey, que contracenou com Patrick Swayze em "Dirty Dancing - Ritmo Quente", se recordou de estar nos braços dele "quando éramos jovens", enquanto astros e fãs em Hollywood lamentaram nesta terça-feira a morte do ator, aos 57 anos.

Swayze continuou a trabalhar muito depois de ter recebido o diagnóstico de câncer pancreático, quase dois anos atrás, chegando a estrelar um novo seriado na TV a cabo, "The Beast". Mas sucumbiu à doença na segunda-feira em sua casa, cercado por seus familiares, disse seu agente.

Enquanto as homenagens se acumulavam, muitos de seus pares no mundo do entretenimento saudaram sua coragem diante da doença, e a Fundação Histórica de Hollywood disse que colocaria flores em sua estrela na Calçada da Fama de Hollywood.

Fãs começaram a se reunir na calçada pouco após a divulgação da notícia da morte de Swayze.

"Este é um dia ruim na história de Hollywood", disse a fã Nicole Stahl. "Ele foi um grande ator. Afinal, fez 'Dirty Dancing', 'Matador de Aluguel', 'Ghost'. Foram três dos melhores filmes de todos os tempos."

As manifestações de pesar entristeceram o clima no tapete vermelho do Festival de Cinema de Toronto, onde Rob Lowe, que contracenou com Swayze no passado, disse que este "viveu mil vidas em uma vida", acrescentando: "Ele fez o papel de meu irmão duas vezes, então sinto que perdi um irmão esta noite."

Jennifer Grey, 49, que contracenou com Swayze em "Dirty Dancing" (1987), o primeiro grande sucesso do ator texano, disse que ele foi "uma combinação rara e bela de virilidade pura e graça surpreendente."

"Lindo e forte, era um caubói de verdade com coração cheio de ternura", disse Grey, que fez o papel de uma adolescente tímida, Frances "Baby" Houseman, que se apaixona pelo personagem de Swayze, o sexy instrutor de dança Johnny Castle.   Continuação...

 
<p>Hollywood chora a morte do ator Patrick Swayze e sa&uacute;da sua coragem. REUTERS/Tobias Schwarz</p>