18 de Setembro de 2009 / às 20:30 / 8 anos atrás

Guggenheim de Nova York lança retrospectiva de Kandinsky

Por Martinne Geller

<p>A exposi&ccedil;&atilde;o do Guggenheim inclui telas de Kandinsky do Centro Ponpidou de Paris. REUTERS/Philippe Wojazer</p>

NOVA YORK (Reuters) - Quase cem obras de Vasily Kandinsky serão exibidas a partir desta sexta-feira no Museu Guggenheim de Nova York, que lança uma retrospectiva do artista abstrato como parte das celebrações do 50o. aniversário do centro de artes.

O pintor russo foi um pioneiro da arte abstrata durante os primeiros anos do século 20. Também é o artista mais associado com a história do próprio Guggenheim.

A exposição, que fica aberta até janeiro, reúne telas do Centro Pompidou de Paris, da Galeria Staedtische de Lenbachhaus und Kunstbau em Munique e da Fundação Solomon R. Guggenheim de Nova York, as três grandes depositárias de sua obra.

Solomon Guggenheim, o fundador do museu, foi um ávido colecionador dos trabalhos de Kandinsky, com mais de 150 de suas obras.

Seu entusiasmo pela arte não objetiva, a corrente abstrata à qual pertencia Kandinsky, o levou a abrir em 1939 o Museu da Pintura Não Objetiva, precursor do Guggenheim.

Tracey Bashkoff, o curador do museu, disse que a obra de Kandinsky ajudou a inspirar o famoso desenho espiral de Frank Lloyd Wright.

“É a conexão entre a motivação para construir este edifício e o desenho”, disse Bashkoff. “Coincide com o 50o aniversário do museu ter as espirais cheias de pinturas que inspiraram o desenho e a fundação do museu”, acrescentou.

A mostra percorre a obra do artista, concentrando-se em acontecimentos cruciais de sua vida e sua arte como as duas guerras mundiais e a revolução russa.

A exposição, que já passou por Munique e Paris, inclui também desenhos em papel de outras coleções públicas e particulares, assim como fotografias do artista feitas entre 1902 e 1942.

Kandinsky ensinou na escola Bauhaus na Alemanha, onde compartilhou ideias sobre a correlação entre a arte e a espiritualidade com o artista Paul Klee. Ele morreu em 1944 na França, onde vivia.

Reportagem de Martinne Geller

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below