Beyoncé enfrenta novos problemas para se apresentar na Malásia

quinta-feira, 24 de setembro de 2009 08:55 BRT
 

KUALA LUMPUR (Reuters) - O partido islâmico de oposição na Malásia quer que a cantora norte-americana Beyoncé cancele um concerto planejado no país asiático, dois anos depois que impediu que a artista realizasse outro show, citando questões morais.

Atuações estrangeiras comummente geram protestos do Partido Pan Islâmico Malaio (PAS), cuja ala jovem conseguiu cancelar um show de Beyoncé em 2007 e tentou em 2008 evitar que a canadense Avril Lavigne se apresentasse no país de maioria muçulmana.

"Somos contra o entretenimento ocidental que promova o hedonismo. Não queremos que nossa juventude tenha más influências", afirmou Ahmad Sabki, vice-presidente da Juventude do PAS, segundo o jornal New Straits Times de quinta-feira.

A imagem da Malásia como um país muçulmano moderado foi atingida depois que uma mulher flagrada bebendo cerveja foi sentenciada a chibatadas. O concerto de Beyoncé está marcado para 25 de outubro, caso ocorra, como parte de uma turnê global, afirmou o jornal.

No início do mês o país inicialmente proibiu os muçulmanos de irem ao show da banda norte-americana de hip-hop The Black Eyed Peas.

A proibição caiu, mas um representante do alto escalão afirmou que o "melhor julgamento" individual deveria fazer a ponderação sobre ir ou não ao evento.

O conservadorismo do PAS em questões culturais causou problemas para os outros membros da aliança de oposição do qual faz parte, afirmou Zaid Ibrahim, ex-ministro da Justiça e agora político de oposição.

"É como se para o PAS o esforço de combate à corrupção, abuso de poder e incitação ao racismo fosse menos importante ante os esforços para evitar que os jovens que estão aprendendo a amar e se divertir sejam obstruídos do usufruto de um pouco de liberdade", escreveu Zaid em seu site. (http://my zaidibrahim.wordpress.com/).

(Reportagem de David Chance)

 
<p>Beyonc&eacute; exibe seus dois pr&ecirc;mios ganhos no MTV Video Music Awards de 2009 em Nova York. O partido isl&acirc;mico de oposi&ccedil;&atilde;o na Mal&aacute;sia quer que a cantora norte-americana Beyonc&eacute; cancele um concerto planejado no pa&iacute;s asi&aacute;tico, dois anos depois que impediu que a artista realizasse outro show, citando quest&otilde;es morais.13/09/2009.REUTERS/Lucas Jackson</p>