ESTREIA-"Diário Proibido" banaliza erotismo com clichês

quinta-feira, 24 de setembro de 2009 11:47 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - Marta Cuirana, responsável pelos figurinos de "Diário Proibido", estreia em circuito nacional nesta sexta-feira, não precisou se preocupar com o guarda- roupa de Belén Fabra, a bela catalã de 32 anos, protagonista do filme dirigido por Christian Molina. Na verdade, são poucas as cenas em que ela aparece vestida.

E, quando aparece, não demora muito para se desvencilhar de peças que só servem para dificultar o andamento da trama. A personagem, Val, é uma ninfomaníaca que leva às últimas consequências sua irrefreável necessidade de sexo, seja com o namorado do momento ou com o primeiro homem que encontrar na rua.

Mas quem espera encontrar cenas sensuais e ousadas, como no clássico do gênero, "Nove e Meia Semanas de Amor" (86), vai se decepcionar. Se a adaptação do livro "Diário de uma Ninfomaníaca", de Valeri Tasso, tinha por objetivo chocar a plateia com as peripécias de uma jovem viciada em sexo, o tiro saiu pela culatra. O excesso de cenas de cama, filmadas de forma burocrática, quase sem intervalos, acabam tornando-se banais.

Como a própria história, formada por um amontoado de situações que conduzem a personagem a um verdadeiro calvário. Sim, porque ao mesmo tempo em que busca o prazer, se deixando usar pelos homens, ela é punida. A mensagem do filme não deixa de ser moralista.

Val trabalha num escritório e relata as histórias de suas aventuras a uma amiga que é seu oposto - ela não encontra namorado, mas nem por isso é infeliz. Por sugestão da avó (interpretada por Geraldine Chaplin), Val passa a escrever um diário, como forma de encontrar respostas para suas dúvidas. Mas a avó não suspeita que as dúvidas da moça sejam tão radicais.

Quando conhece Jaime (o argentino Leonardo Sbaraglia), um empresário galanteador, cai, sem saber, numa perigosa armadilha. Pela primeira vez, realmente apaixonada e acreditando que entrará na rotina de uma mulher "normal", ela logo saberá quem ele é na realidade: um homem cruel, ciumento e violento, que coloca em risco sua própria vida.

Seu próximo passo é ainda tão ou mais arriscado que o anterior. Depois de abandonar Jaime, decide trabalhar num bordel, pois acredita que conseguirá ser remunerada por aquilo que mais gosta: sexo.

Novamente sua escolha implicará em graves consequências. Mas, assim como ela teve coragem de abandonar um homem violento e dar outro rumo na vida, terá novamente oportunidade de mostrar sua força. E registrar tudo em seu diário.

(Por Luiz Vita, do Cineweb)

* As opiniões expressas são responsabilidade do Cineweb

 
<p>A atriz Geraldine Chaplin interpreta a av&oacute; de uma ninfoman&iacute;aca no filme "Di&aacute;rio Proibido" REUTERS/Fred Prouser</p>