Condé Nast fechará quatro revistas

segunda-feira, 5 de outubro de 2009 16:48 BRT
 

NOVA YORK (Reuters) - A editora Condé Nast fechará quatro revistas --Modern Bride, Elegant Bride, Gourmet e Cookie-- após uma reformulação feita pelo grupo para encontrar maneiras de cortar custos e reduzir a equipe em face à recessão na área de publicidade e propaganda.

A Condé Nast, que também edita revistas como The New Yorker e Vanity Fair, já havia fechado as revistas Portfolio (de negócios) e Domino (de decoração).

Os últimos fechamentos, "combinados com as reduções de custo e de funcionários agora em andamento por toda a empresa, vão acelerar a recuperação de nossos negócios atuais e nos permitirá empreender novas aventuras", disse o diretor-executivo, Chuck Townsend, numa circular aos funcionários nesta segunda-feira.

A Condé Nast é uma entre as muitas editoras de revistas e jornais norte-americanos que registram o declínio na circulação e na receita com publicidade, à medida que mais leitores se voltam para a Internet. Os anunciantes cortaram seus orçamentos por causa da recessão.

Com o fechamento da Modern Bride e da Elegant Bride, uma terceira revista sobre casamentos, chamada Brides, aumentará a sua periodicidade e passará a ser mensal. Com relação à Gourmet, a Condé Nast afirmou que permanecerá comprometida com a marca e continuará a editar o livro Gourmet e manter o programa de TV.

A Condé Nast contratou a empresa de consultoria McKinsey para buscar formas de reduzir os custos.

Uma empresa privada cuja sede fica na Times Square, no coração de Nova York, a Condé Nast por muito tempo desfrutou de uma reputação condizente com suas brilhantes revistas de moda, incluindo múltiplos relatos sobre grandes gastos para seus principais editores, mesmo enquanto despencavam os anúncios nas revistas impressas e nos jornais.

Boa parte da redução nos anúncios se dá à medida que um número maior de pessoas obtém informações e entretenimento na Internet, e os anunciantes passaram a buscá-las na rede. A crise financeira acelerou esse movimento no ano passado.

A Condé Nast é parte do império da Advance, da família Newhouse, que já vem cortando seus custos nos jornais diários, incluindo o The Star-Ledger, de Newark, New Jersey.

A decisão de fechar as revistas ocorre depois que uma fonte disse à Reuters na sexta-feira que a Condé Nast poderá trabalhar com a Time Inc, da Time Warner's, a Hearst Corp e outros no estabelecimento de uma plataforma digital para que as pessoas leiam revistas, e sejam cobradas por elas, em dispositivos móveis, como leitores de livros eletrônicos.

(Reportagem de Paul Thomasch e Robert MacMillan)