Suíça rejeita recurso de Polanski contra prisão

terça-feira, 6 de outubro de 2009 14:14 BRT
 

Por Sven Egenter

ZURIQUE (Reuters) - Autoridades suíças rejeitaram na terça-feira um recurso dos advogados de Roman Polanski - preso em setembro depois de fugir dos EUA em 1978 por uma acusação de ter mantido relações sexuais com uma menor de idade - em que os advogados pediram a libertação do cineasta da prisão.

As autoridades também recomendaram ao tribunal suíço encarregado de julgar seu mandado de extradição que rejeite outro recurso dos advogados de Polanski pedindo sua libertação e que rejeite qualquer pedido de libertar sob fiança o diretor de cinema de 76 anos, premiado com o Oscar.

Em 1977 Polanski declarou-se culpado de ter feito sexo com uma menina de 13 anos, mas fugiu dos EUA na véspera do anúncio de sua sentença, em 1978, porque acreditou que um juiz norte-americano pudesse passar por cima do acordo extrajudicial que tinha fechado e pudesse condená-lo a 50 anos de prisão.

"Ainda existe, a nosso ver, um risco muito alto de que ele fuja e de que uma libertação sob fiança ou outras medidas posteriores a uma libertação não possam garantir a presença de Polanski no procedimento de extradição", disse um porta-voz do Escritório Federal de Justiça, Folco Galli.

Os advogados de Polanski tinham apresentado um recurso ao Escritório Federal de Justiça, pedindo que reconsiderasse sua prisão devido a um mandado de extradição dos EUA. Eles também registraram um recurso junto à Corte Penal Federal Suíça, que ainda pode decidir libertar Polanski sob fiança.

As autoridades suíças tinham dito anteriormente que seria muito improvável que Polanski fosse libertado sob fiança. O escritório de justiça tinha pedido à Corte Penal Suíça que rejeitasse a apelação de Polanski, disse Galli.

O advogado de Polanski, Hervé Temime, disse: "Essa recomendação é decepcionante, mas não nos surpreende. Vamos aguardar para ver o que decidem os juízes, os magistrados em cortes independentes."

PRÊMIO PELO CONJUNTO DA OBRA   Continuação...

 
<p>Foto de arquivo do diretor de cinema Roman Polanski. Nesta ter&ccedil;a-feira, autoridades su&iacute;&ccedil;as negaram pedido de fian&ccedil;a a Polanski, preso no pa&iacute;s desde o m&ecirc;s passado a pedido dos Estados Unidos sob acusa&ccedil;&atilde;o de ter mantido rela&ccedil;&otilde;es sexuais com uma menina de 13 anos em 1977. REUTERS/Ina Fassbender (GERMANY)</p>