October 8, 2009 / 6:16 PM / 8 years ago

Livro ensina "como falar com homens de forma que eles escutem"

4 Min, DE LEITURA

Por Ellen Wulfhorst

NOVA YORK (Reuters) - Você já viu um colega levar os louros por uma ideia sua, já foi acusado de ser emotivo demais, de levar as brincadeiras muito a sério ou é interrompido com frequência numa reunião?

A maioria das mulheres responderá sim a tais situações, dizem as autoras de "Code Switching: How to Talk So Men Will Listen" ("Mudança de código: Como falar de forma que os homens escutem", na tradução livre), um livro novo sobre a comunicação, ou a ausência dela, entre homens e mulheres.

Homens e mulheres comunicam-se de forma diferente, dizem as autoras Claire Damken Brown e Audrey Nelson, em estilos impostos desde o nascimento e profundamente arraigados na estrutura do mundo do trabalho.

Elas propõem uma "mudança de código", descrita por elas como o uso do conhecimento de mais de uma cultura e de uma língua para se comunicar.

"É um guia de turismo, de certa forma, para outro país com outra cultura", disse Nelson numa entrevista à Reuters sobre o livro, editado nos Estados Unidos pela Alpha Books.

As diferenças de estilo entre homens e mulheres criam uma constante "lacuna de credibilidade", onde as mulheres ganham menos autoridade e poder que os homens, escrevem elas.

"A maior queixa que me fazem há 30 anos de mulheres de todos os níveis, em todas as profissões, é: 'Como faço os homens me levarem a sério?'", afirmou Nelson. "Esse livro é para fazer uma ponte nessa lacuna de credibilidade."

Os homens perderam cerca de três quartos dos empregos durante a recessão, mas a existência de mais mulheres no local de trabalho não necessariamente traz uma mudança, dizem as autoras.

"Há mais de nós...mas não assuma que, porque uma pessoa é mulher, ela está do nosso lado", afirmou Nelson.

"Há uma série de mulheres aí que ainda são felizes em servir os homens, que não querem perturbar o equilíbrio da situação, que não têm habilidades assertivas e não as querem."

DIFERENÇAS DE GÊNERO

Os sinais das diferenças de gênero estão por toda parte, escrevem elas. As mulheres pedem mais desculpas que os homens, desempenham o papel de "mãe de plantão" em quem todos confiam e dão mais opiniões subjetivas.

Os homens contam mais piadas, mas as mulheres riem mais delas. Os homens querem soluções para os problemas, enquanto as mulheres tentam compreender os problemas, e os homens gostam de ser o advogado do diabo, enquanto as mulheres querem ajudar para que todos entrem em acordo, afirmam elas.

Mesmo nos e-mails, os homens gracejam e escrevem mensagens curtas e diretas, enquanto as mulheres compartilham informações pessoais e manifestam apreço e apoio em mensagens mais longas, dizem as autoras.

Brown vem do mundo corporativo, onde trabalhou em empresas como a AT&T e Lucent Technologies, enquanto Nelson é uma experiente consultora da área de comunicações.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below