Ganhadora do Nobel de Literatura diz que ditadura a fez escrever

quinta-feira, 8 de outubro de 2009 20:01 BRT
 

Por Sarah Marsh

BERLIM (Reuters) - A ganhadora do Prêmio Nobel de Literatura de 2009, Herta Mueller, disse nesta quinta-feira que o fato de ter crescido na Romênia comunista a compeliu a escrever sobre como os ditadores são capazes de dominar um país.

Ao anunciar o prêmio de 1,4 milhão de dólares para Mueller, no começo do dia, a Academia Sueca disse que ela, "com a concentração da poesia e a franqueza da prosa, retrata a paisagem dos despossuídos."

Nascida na Romênia, mas de etnia alemã, Mueller é conhecida por obras como "A Terra das Ameixas Verdes", que ela dedicou a amigos mortos durante as duas décadas da ditadura de Nicolae Ceausescu na Romênia, e "Heute wär ich mir lieber nicht begegnet", em que uma romena costura recados dizendo "Case comigo" nos ternos de homens que partem para a Itália.

"Minha escrita sempre tratou de como uma ditadura surge, como uma situação pode ocorrer em que um punhado de pessoas poderosas dominam um país e o país desaparece, e só resta um Estado", disse Mueller.

"Acho que a literatura sempre emerge de coisas que fizeram dano a alguém, e há um tipo de literatura em que os autores não escolhem seu assunto, mas lidam com um que lhes foi lançado --não sou a única escritora assim."

Mueller disse a jornalistas em Berlim que tinha certeza de que jamais ganharia o Nobel. "Não sou a vencedora, meus livros são; eles são obras concluídas, e não eu, não eu pessoalmente", disse a escritora de 56 anos.

"Ainda não consigo acreditar, ainda não caiu a ficha. Não esperava, tinha certeza de que não iria acontecer. Ainda não consigo falar nisso, é cedo demais, acho que ainda preciso de tempo para perceber o que significa."

Sua obra sensível e esclarecedora reflete a intolerância e a dureza da vida sob o regime de Ceausescu, derrubado e executado em 1989. Ela deixou a Romênia em 1987, com o marido, Richard Wagner, e hoje vive em Berlim.

"Este país me salvou. Quando cheguei, em 1987, pude finalmente respirar," afirmou. "E quando a ditadura caiu, senti que não estava mais ameaçada. Eu me sinto livre no presente, e as coisas que aconteceram não foram canceladas, estão na minha cabeça. Só tenho uma cabeça --essa que levo por ai-- e ela contém tudo aquilo com que cheguei a este país."

 
<p>A escritora alem&atilde; Herta Mueller autografa livro ap&oacute;s confer&ecirc;ncia em Berlim. A ganhadora do Pr&ecirc;mio Nobel de Literatura de 2009, Herta Mueller, disse nesta quinta-feira que o fato de ter crescido na Rom&ecirc;nia comunista a compeliu a escrever sobre como os ditadores s&atilde;o capazes de dominar um pa&iacute;s.08/10/2009.REUTERS/Thomas Peter</p>