14 de Outubro de 2009 / às 12:14 / 8 anos atrás

Baixista dos Eagles lança álbum solo

<p>Timothy B. Schmit, baixista dos Eagles, lan&ccedil;ou &aacute;lbum solo. REUTERS/Andrew Macpherson/Handout</p>

Por Dean Goodman

LOS ANGELES (Reuters) - Ele é o Eagle que não é Don Henley, Glenn Frey ou Joe Walsh.

Ou seja, é Timothy B. Schmit, o baixista que entrou para a banda de rock dona de vendas de proporções mega em tempo de gravar um álbum antes de a banda se desfazer, em 1980, deixando-o em estado de choque.

Para agravar a situação, ele estava passando por um divórcio. Nos dez anos seguintes, fez de tudo para ganhar a vida enquanto a reconstruía com uma família nova.

Nenhum trabalho era pequeno demais para seu vocal tenor atemporal e seu talento como multi-instrumentista. Álbuns japoneses. Discos para o Twisted Sister e o Poison. Turnês com Toto e Jimmy Buffett.

Schmit lançou três álbuns solo até os Eagles voltarem a tocar juntos, em 1994. Um quarto saiu em 2001, e o quinto chegará às lojas na próxima terça-feira pela Lost Highway Records, fazendo dele o único Eagle a ter lançado um disco solo neste milênio.

Schmit, que está com 61 anos, gravou “Expando” com recursos próprios em seu estúdio caseiro em Los Angeles, durante folgas do trabalho com os Eagles, que estão na estrada intermitentemente desde maio do ano passado.

Ele convidou alguns amigos respeitados para colaborar em algumas faixas, entre eles Graham Nash, Dwight Yoakam e Kid Rock nos vocais de fundo, os guitarristas de blues Kenny Wayne Shepherd e Keb’ Mo’, Van Dyke Parks no acordeão, Gary Burton no vibrafone e os tecladistas Garth Hudson (The Band) e Benmont Tench (Heartbreakers).

Diferentemente do álbum dos Eagles “Long Road Out Of Eden”, de 2007, cuja faixa-título Schmit ajudou a compor, as gravações não foram feitas com a troca de arquivos enviados por e-mail.

“Por mais brega que isso possa soar, eu quis conservar tudo o mais orgânico possível”, disse o baixista à Reuters em entrevista recente. “Todo o mundo que aparece no disco entrou nele passando pela porta do meu estúdio.”

Isso incluiu os Blind Boys of Alabama, que compareceram em sua van --dirigida por outra pessoa--, acompanhando no canto um demo de Schmit que estavam ouvindo em CD.

Schmit fez questão de não envolver seus colegas Eagles no projeto, em parte porque viu o disco como hobby modesto, com “pressão zero.” Além disso, quando não estão trabalhando juntos seus colegas costumam se dispersar por todos os cantos do planeta.

Ele envolveu sua família em “White Boy From Sacramento”, no qual a guitarra principal é tocada por seu filho mais jovem, Ben, que tem 19 anos e estuda no Berklee College of Music, em Boston.

Como os Eagles não pretendem tocar ao vivo “até algum momento do ano que vem”, Schmit vai partir para a estrada com uma banda pequena para apresentar em alguns clubes, começando na quarta-feira em Los Angeles e dizendo “espero me divertir.”

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below