Livro dá dicas de como lidar com chefes irritantes

terça-feira, 13 de outubro de 2009 17:52 BRT
 

Por Ellen Wulfhorst

NOVA YORK (Reuters) - Os norte-americanos comemoram na sexta-feira o Dia Nacional do Chefe, mas para quem não consegue se imaginar festejando tal dia, um novo livro, intitulado "Trabalhar para Você não é Trabalhar para Mim - Um Guia para Lidar com seu Chefe" pode ser útil.

O livro é um manual que pretende ajudar as pessoas a sobreviverem a chefes difíceis como o "crítico crônico", que nunca está satisfeito, ou o "duas faces", que não é confiável.

Em meio à crise econômica, um dos tipos mais fáceis de encontrar é o "control freak", ou maníaco pelo controle, que quer aprovar cada decisão de sua equipe, disse Katherine Crowley, psicoterapeuta que escreveu o livro junto com Kathi Elster, sua parceira em uma empresa de consultoria em Nova York.

"Esse tipo de comportamento é muito comum sob o estresse", disse ela em entrevista à Reuters. "Eles morrem de medo de cometer um erro, então querem estar por dentro de tudo o que está acontecendo".

Também existe o chefe do tipo "conta-tudo", que precisa de uma plateia constante, o chefe "nem aí", que não se preocupa com o emprego e, também comum nos tempos difíceis, o chefe que muda as ordens e expectativas por mero capricho.

"Em tempos estressantes, um chefe indeciso fica ainda mais indeciso. Estamos escutando muito isso", disse Crowley, que já escreveu com Elster "Trabalhando para Você está me Matando".

Os leitores também recebem maneiras de ver que tipo de empregados eles são. Por exemplo, funcionários que se dão melhor com os chefes maníacos por controle são ambiciosos.

As autoras também dão quatro passos para solucionar problemas com um chefe irritante --detectar o problema, se separar dele, despersonalizá-lo e lidar com ele.

Se separar do problema é o mais difícil, segundo Crowley. "Quando se está diante de uma situação difícil, há algo na natureza humana que nos faz querer nos aprofundar no assunto, resolvê-lo. Adotar uma distância emocional do problema é difícil".