Juíza ordena novo julgamento de acusados de extorquir Travolta

quinta-feira, 22 de outubro de 2009 11:40 BRST
 

Por Neil Hartnell

NASSAU (Reuters) - Uma juíza da Suprema Corte das Bahamas ordenou na noite de quarta-feira que seja feito novo julgamento de duas pessoas acusadas de tentar extorquir 25 milhões de dólares do ator de Hollywood John Travolta.

A juíza Anita Allen declarou anulado o julgamento em curso, depois de um político das Bahamas ter anunciado prematuramente na convenção anual de seu partido, que tinha cobertura ao vivo na televisão e nas rádios, que os dois réus tinham sido absolvidos.

Allen não determinou a data do novo julgamento.

A ex-senadora Pleasant Bridgewater e o motorista de ambulância Tarino Lightbourne foram acusados de tentar extorquir 25 milhões de dólares de Travolta após a morte do filho do ator, Jett, em janeiro, nas Bahamas.

Os réus teriam ameaçado entregar à imprensa um documento assinado por Travolta isentando o motorista de ambulância e seus colegas de qualquer responsabilidade pela morte de Jett, depois de Travolta ter decidido tentar levar seu filho à Flórida de avião para ser hospitalizado, em lugar de levá-lo a um hospital de Freeport.

A convenção política na qual o anúncio precoce foi feito era do Partido Liberal Progressista (PLP), um dos dois principais partidos políticos bahamenses. Bridgewater é filiada ao PLP.

Uma autópsia determinou que Jett Travolta morreu de convulsão durante férias da família no resort Old Bahama Bay.

Durante o julgamento, que durou cinco semanas, Travolta relatou que tentou salvar seu filho fazendo respiração boca a boca, enquanto outro visitante no resort ajudava com compressões em seu peito e usou um desfibrilador em Jett, que foi encontrado inconsciente no chão do banheiro.   Continuação...