EMI processa site dos EUA por vender música dos Beatles online

quinta-feira, 5 de novembro de 2009 15:26 BRST
 

LONDRES (Reuters) - A EMI, gravadora dos Beatles, moveu um processo contra o site de música norte-americano BlueBeat.com, que anunciou a venda de downloads não autorizados de faixas dos "Fab Four".

"A EMI não autorizou a venda de conteúdos no BlueBeat.com", disse uma porta-voz da gravadora.

A EMI confirmou ter registrado nesta semana, em um tribunal norte-americano, uma ação contra a BlueBeat.com por infração de direitos autorais.

A BlueBeat.com está oferecendo as canções do grupo inglês por 25 cents de dólar cada, cerca de um quarto do que cada canção custaria normalmente no site dominante de venda de música online, o iTunes, pertencente à Apple Inc.

O site está oferecendo uma lista extensa de álbuns dos Beatles, tanto os originais quanto as versões recentemente remasterizadas, apesar de a banda ainda não ter chegado a um acordo com provedores de música para possibilitar o lançamento online de seu catálogo.

Há um ano, o ex-Beatle Paul McCartney disse que a banda estava ansiosa para disponibilizar sua música na loja online iTunes, mas que as negociações estavam paradas.

A solução de uma disputa por marca registrada entre a Apple Inc. e a empresa Apple Corps Ltd., dos Beatles, provocou esperança entre fãs e executivos de gravadoras de que o caminho finalmente estivesse livre para o catálogo dos Beatles chegar online.

McCartney disse que a disputa que está adiando as vendas online das músicas dos Beatles agora envolve apenas a banda e a EMI. Ele disse que a EMI quer "algo que não estamos dispostos a lhe dar".

Fontes da indústria musical dizem que desconfiam que o processo da EMI contra a BlueBeat.com possa ser seguido por outros de outras grandes gravadoras cujos conteúdos o site também pôs à venda.

(Reportagem de Mike Collett-White)

 
<p>A EMI, gravadora dos Beatles, moveu um processo contra o site de m&uacute;sica norte-americano BlueBeat.com, que anunciou a venda de downloads n&atilde;o autorizados de faixas dos "Fab Four".REUTERS/STR New</p>