Peter Jackson abandona grandes orçamentos em "Olhar do Paraíso"

quarta-feira, 25 de novembro de 2009 12:32 BRST
 

Por Mike Davidson

LONDRES (Reuters) - O cineasta neozelandês Peter Jackson tirou folga dos blockbusters com "Olhar do Paraíso", adaptação do romance best-seller de Alice Sebold (publicado no Brasil sob o título "Uma Vida Interrompida") sobre uma menina que é brutalmente estuprada e assassinada e que passa a acompanhar a vida de sua família desde o paraíso.

Estrelado por Rachel Weisz e Mark Wahlberg nos papéis dos pais da menina, o filme teve sua première mundial em Londres na noite de terça-feira, com o príncipe de Gales na plateia.

"Olhar do Paraíso" chegará aos cinemas norte-americanos em 11 de dezembro, em circuito limitado, e fará sua estreia em circuito amplo ao longo de janeiro.

É o primeiro filme de Jackson como diretor desde o blockbuster "King Kong", de 2005, que se seguiu à trilogia "O Senhor dos Anéis", que fez do cineasta de 48 anos um dos nomes mais cotados de Hollywood.

"'Olhar do Paraíso' foi um filme de tipo muito diferente para nós, e foi isso, em parte, o que me atraiu para fazê-lo", disse Jackson à Reuters.

"Eu poderia facilmente ter feito outro blockbuster com muitos efeitos especiais, e era isso que as pessoas esperavam que eu fizesse. Então gostei do desafio de fazer um filme muito menor, de orçamento muito mais baixo, fato que reduz as pressões."

Jackson disse que o fato de não ter feito um filme caro, com muitos efeitos especiais, lhe permitiu fazer um trabalho "mais desafiador". Mas, a julgar pelas primeiras resenhas negativas, muitos críticos vão discordar dele.

CRÍTICAS NEGATIVAS   Continuação...