26 de Novembro de 2009 / às 14:33 / 8 anos atrás

Bob Dylan leva alegria natalina a pobres e sem-teto do mundo

<p>Arte da capa do &aacute;lbum "Christmas In The Heart", de Bob Dylan. O &iacute;cone do rock de 68 anos deixou f&atilde;s e cr&iacute;ticos perplexos com o novo disco, uma cole&ccedil;&atilde;o de can&ccedil;&otilde;es tradicionais de Natal cantadas em sua voz rouca e gutural. Toda a receita gerada com as vendas ser&aacute; revertida para organiza&ccedil;&otilde;es de caridade para sem-teto e famintos nos Estados Unidos, Gr&atilde;-Bretanha e mais 80 pa&iacute;ses pobres. REUTERS/Columbia Records/Handout</p>

Por Angus MacSwan

LONDRES (Reuters) - Bob Dylan teceu reflexões sobre natais passados, almoços natalinos com peru e suas canções natalinas favoritas em uma entrevista rara publicada por uma revista para pessoas sem-teto.

O cantor de 68 anos deixou fãs e críticos perplexos com seu novo álbum, “Christmas in the Heart”, uma coleção de canções tradicionais de Natal cantadas em sua voz rouca e gutural.

Toda a receita do álbum será revertida para organizações de caridade para sem-teto e famintos nos Estados Unidos, Grã-Bretanha e 80 países pobres.

Indagado sobre a razão de ter escolhido essas organizações, Dylan disse ao entrevistador: “Elas levam a comida diretamente às pessoas. Sem organização militar, sem burocracia, sem tratar com governos.”

A entrevista exclusiva saiu na revista britânica The Big Issue e em jornais semelhantes distribuídos nas ruas na América do Norte.

Bob Dylan -- cujo nome de nascimento é Robert Allen Zimmerman -- disse que, embora seja judeu, nunca se sentiu deixado de fora do Natal quando era menino, em Minnesota.

Ele recordou “muita neve, sinos de Natal, pessoas indo de porta em porta cantando canções de Natal, trenós nas ruas, sinos da cidade tocando, peças de teatro sobre o nascimento de Jesus.”

Dylan falou que, para ele, um bom almoço de Natal tem peru assado com purê de batatas e molho, couve e todos os acompanhamentos tradicionais.

As canções do álbum de Natal “fazem parte de minha vida, assim como as canções folclóricas”, disse.

Por que o Natal tem as melhores canções? “Talvez porque o Natal seja algo que existe em todo o mundo e com o qual todo o mundo pode se identificar à sua própria maneira.”

O lançamento do álbum natalino veio apenas intensificar o enigma de Bob Dylan, além de coroar um ano repleto de acontecimentos para ele.

O músico fez mais de 100 shows na Europa e América do Norte, dentro de sua turnê “Never Ending”, e liderou as paradas na Grã-Bretanha e nos EUA com seu álbum “Together Through Life.”

Em julho Dylan foi detido em Nova Jersey quando moradores viram um homem encapuzado perambulando em sua rua debaixo de chuva. O jovem policial chamado não reconheceu o compositor e cantor premiado com o Oscar e o Grammy.

O álbum natalino também reforçou as especulações entre os “observadores de Dylan” em torno da religião atual do cantor, se é que ele tem alguma. Entre 1979 e 1981 Dylan foi cristão evangélico e lançou três álbuns de temática religiosa.

Ele disse ao entrevistador: “Sou um crente verdadeiro”, mas não deu maiores detalhes.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below