Alec Baldwin diz que perdeu interesse em atuar

segunda-feira, 30 de novembro de 2009 19:45 BRST
 

LOS ANGELES (Reuters) - O ator norte-americano Alec Baldwin disse que perdeu o interesse em atuar e que considera sua carreira cinematográfica um fracasso.

"Não tenho mais nenhum interesse em atuar", disse Baldwin, de 51 anos, ao Men's Journal em entrevista que será publicada na edição de dezembro.

Baldwin, mais conhecido por seu papel premiado com o Emmy no seriado "30 Rock", e que foi escolhido para co-apresentar a cerimônia de entrega do Oscar em 2010, acrescentou: "Filmes fazem parte do meu passado. Já são 30 anos. Não sou jovem, mas tenho tempo de fazer outra coisa".

O ator começou a carreira na televisão nos anos 1980 e já participou de vários filmes, incluindo o clássico "Os Fantasmas se Divertem" de 1988. Ele foi indicado para um Oscar de ator coadjuvante em 2003 por seu papel em "Quebrando a Banca" e está no filme "It's Complicated", ainda inédito, que tem no elenco Meryl Streep e Steve Martin.

Segundo o Men's Journal, Baldwin teria dito que depois de "30 Rock" ele iria se aposentar, "dentro de alguns anos".

Ele disse à revista Playboy este ano que abandonaria sua carreira em 2012.

"Eu considero minha carreira cinematográfica inteira um fracasso completo", disse ele ao Men's Journal.

"O objetivo de quem faz cinema é estrelar um filme no qual a sua performance conduz a história, e o filme é um sucesso de crítica ou de público. Eu nunca tive isso".

Baldwin disse que o filme de ação "Caçada ao Outubro Vermelho", de 1990, que fez mais de 200 milhões de dólares nas bilheterias mundiais, foi um sucesso porque foi baseado em um romance popular de Tom Clancy.

Baldwin já expressou interesse em política, mas não disse na entrevista o que pretendia fazer quando deixasse de atuar.

(Reportagem de Corinne Heller)

 
<p>O ator Alec Baldwin chega para cerim&ocirc;nia em Hollywood. O ator norte-americano Alec Baldwin disse que perdeu o interesse em atuar e que considera sua carreira cinematogr&aacute;fica um fracasso.14/11/2009.REUTERS/Fred Prouser</p>