4 de Dezembro de 2009 / às 13:26 / em 8 anos

Polanski é transferido para prisão domiciliar após pagar fiança

Por Catherine Bosley

<p>O diretor de cinema Roman Polanski foi libertado sob fian&ccedil;a nesta sexta-feira e transferido para pris&atilde;o domiciliar em seu chal&eacute; su&iacute;&ccedil;o, ap&oacute;s ser preso depois de fugir dos EUA para evitar ser sentenciado por ter mantido rela&ccedil;&otilde;es sexuais ilegais com uma menina de 13 anos em 1977. REUTERS/Jean-Paul Pelissier/File (FRANCE - Tags: ENTERTAINMENT CRIME LAW HEADSHOT)</p>

GSTAAD (Reuters) - O diretor de cinema Roman Polanski foi libertado sob fiança nesta sexta-feira e transferido para prisão domiciliar em seu chalé suíço, após ser preso depois de fugir dos EUA para evitar ser sentenciado por ter mantido relações sexuais ilegais com uma menina de 13 anos em 1977.

Um jornalista da Reuters viu Polanski dentro de um carro que passou por cerca de 200 jornalistas que esperavam diante da casa e entrou na garagem do chalé de luxo do cineasta na sofisticada estação de esqui de Gstaad.

“Roman Polanski foi libertado da prisão hoje enquanto aguarda decisão sobre seu pedido de extradição e foi transferido para Gstaad, onde está sob prisão domiciliar em seu chalé”, disse o governo suíço em comunicado à imprensa. “Polanski se comprometeu a não deixar sua casa em qualquer momento.”

Polanski foi libertado da prisão depois de pagar fiança de 4,5 milhões de dólares, sob a condição de usar um aparelho de monitoramento eletrônico e depois de ter entregue seus documentos de identidade e viagem e ter se comprometido a não deixar sua casa.

Um cordão de isolamento policial manteve a imprensa à distância da casa de três andares recoberta de neve, na qual jornalistas da Reuters viram várias pessoas antes da chegada de Polanski, apesar de as janelas estarem protegidas por espessas venezianas brancas.

O cineasta de 76 anos, premiado com o Oscar e que tem cidadania dupla francesa e polonesa, foi preso a pedido dos Estados Unidos quando desembarcou na Suíça em 26 de setembro para receber de um festival de cinema um prêmio pelo conjunto de sua obra.

EXTRADIÇÃO

Polanski foi indiciado originalmente por seis acusações, incluindo a de estupro, por ter tido relações sexuais com uma menina depois de dar champanhe e drogas a ela.

Ele se confessou culpado de ter feito sexo com a menina, mas fugiu dos Estados Unidos na véspera do anúncio de sua sentença, em 1978, porque acreditou que um juiz pudesse passar por cima do acordo judicial pelo qual se confessara culpado e sentenciá-lo a 50 anos de prisão.

A expectativa é que o Departamento de Justiça suíço decida sobre a possível extradição de Polanski em questão de semanas, mas ele poderá recorrer da decisão, potencialmente prolongando a disputa por meses.

O cineasta tinha sido transferido de uma prisão próxima a Zurique para um local não identificado enquanto era preparada sua transferência para Gstaad, onde também ficam as residências de inverno do cantor francês Johnny Halliday e de Bernie Ecclestone, o chefe empresárial da Fórmula 1.

A pequena cidade nos Alpes é frequentada por celebridades há décadas, tendo sido destino favorito da atriz Audrey Hepburn, da cantora de jazz Ella Fitzgerald e de Winston Churchill, primeiro-ministro britânico durante a 2a Guerra Mundial.

Os filmes de Polanski “O Pianista,” de 2002, pelo qual recebeu um Oscar, “Oliver Twist,” “O Bebê de Rosemary,” “A Dança dos Vampiros,” “Repulsa ao Sexo” e “A Faca na Água.”

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below