Mudas de árvore de Anne Frank mantêm vivo símbolo de esperança

sábado, 5 de dezembro de 2009 15:13 BRST
 

AMSTERDÃ (Reuters) - Mudas de uma árvore que confortou Anne Frank quando ela viveu em um esconderijo com sua família, escondendo-se dos nazistas, estão sendo plantadas em um parque de Amsterdã, na Holanda, enquanto a saúde do castanheiro-da-índia de 150 anos de idade desperta preocupação.

A adolescente judia mencionou a árvore no diário que escreveu enquanto viveu em um sótão escondido por mais de dois anos durante a 2a Guerra Mundial. Após a morte dela em um campo de concentração, em 1945, o diário se tornou best-seller mundial.

"Esta árvore guarda um significado especial para Amsterdã, mas também para pessoas em todo o mundo", disse a vereadora Marijke Vos antes do plantio de 150 mudas doadas ao parque nesta sexta-feira.

"Ela é um símbolo de esperança e liberdade. Com estas mudas, podemos compartilhar essa esperança e liberdade com o mundo inteiro."

Após plantios semelhantes em cidades como Paris e Madri, Vos disse que há planos para plantar uma muda também ao lado do Ponto Zero, em Nova York, onde quase 3.000 pessoas morreram nos ataques de 11 de setembro de 2001 contra o World Trade Center.

A árvore era um dos poucos sinais de natureza visíveis desde o esconderijo abafado da jovem Anne Frank.

"Nossa castanheira está florida. Ela está coberta de folhas e está ainda mais bonita que no ano passado", ela escreveu em maio de 1944, pouco tempo depois de ser delatada para os nazistas.

Infectada com um fungo, a árvore estava prevista para ser derrubada em 2007 devido a receios pela segurança de 1 milhão de pessoas que visitam a casa de Anne Frank anualmente.

Mas autoridades e conservacionistas concordaram em reforçá-la com uma estrutura externa, que se espera que possa prolongar sua vida por mais alguns anos.

(Reportagem de Catherine Hornby)

 
<p>A vereadora Marijke Vos e o diretor da Casa Anne Frank, Hans Westra, plantam uma muda em Amstelveen. REUTERS/Jerry Lampen</p>