Foto de Roman Polanski e Sharon Tate nus é vendida por US$11.250

terça-feira, 8 de dezembro de 2009 11:55 BRST
 

NOVA YORK (Reuters Life!) - Uma foto do cineasta Roman Polanski e sua então mulher Sharon Tate nus, feita pouco antes do brutal assassinato de Tate, foi vendida em leilão na segunda-feira por 11.250 dólares, graças ao aumento do interesse em Polanski decorrente de sua prisão recente.

A cópia de gelatina de prata em tamanho grande foi feita de uma imagem clicada pelo fotógrafo inglês David Bailey em 1969, alguns meses antes de a atriz Sharon Tate e quatro outras pessoas serem assassinadas por seguidores de Charles Manson. A foto foi impressa em 1988 para uma exposição viajante.

O retrato de aproximadamente 84 por 84 centímetros de dimensão mostra o casal da cintura para cima, abraçados e olhando para a lente. A expectativa tinha sido que gerasse entre 8.000 e 12 mil dólares.

"Bailey conhecia Polanski muito bem, entre outras razões porque tinha ambições de se tornar cineasta, ele próprio. Na verdade, em 1966 Bailey fez um curta de 30 minutos que acho que raramente é visto", disse à Reuters Television Philippe Garner, da casa de leilões Christie's.

"Esta foto de Polanski com sua mulher é muito comovente, obviamente, porque foi feita em 1969 e Sharon Tate foi assassinada no verão daquele ano. Então a foto tem uma ressonância emocional particular que certamente não foi pretendida quando ela foi feita, mas é uma foto que assombra por essa razão."

Polanski, de 76 anos, se encontra no momento em prisão domiciliar em seu chalé no resort turístico suíço de Gstaad, enquanto aguarda uma decisão da Justiça sobre um pedido de extradição formulado pelos EUA.

Ele fugiu dos Estados Unidos em 1978, enquanto aguardava ser sentenciado por ter tido relações sexuais ilegais com uma menina de 13 anos.

Ele nunca retornou a Los Angeles, onde Sharon Tate, grávida com um filho deles, foi assassinada.

Polanski foi preso a pedido dos Estados Unidos quando desembarcou na Suíça, em 26 de setembro, para receber um prêmio pelo conjunto de sua obra em um festival de cinema.

Garner disse que o caso envolvendo Polanski gerou um certo nível de interesse pela foto.

Diretor de filmes como "O Bebê de Rosemary" e "Chinatown", Polanski recebeu o Oscar de melhor diretor por "O Pianista", de 2002.