Leilão de mestres antigos arrecada mais de US$ 112 milhões

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009 10:40 BRST
 

LONDRES (Reuters) - A Christie's obteve na terça-feira 68,4 milhões de libras (112,4 milhões de dólares) e derrubou vários recordes com a venda de obras de mestres antigos como Rafael e Rembrandt.

A casa disse que esse foi o maior valor já arrecadado em uma venda de obras de mestres de séculos passados.

"Cabeça de uma Musa", desenho de Rafael que serviu como estudo para uma figura em Parnasso, encomendada no começo do século 16 pelo papa Júlio 2o, obteve o equivalente a 47,9 milhões de dólares. Foi o valor mais alto já atingido por uma obra em papel, o segundo maior valor para a obra de um mestre antigo, e um recorde mundial para um Rafael em leilão, segundo a Christie's.

Foi a primeira vez que essa obra foi a um leilão público em mais de 150 anos. "Rafael é universalmente reconhecido como um dos maiores artistas da história, e estamos extremamente animados por termos vendido por um preço recorde um belo desenho feito por sua mão, que teve participação importante na execução de uma das obras primas da arte europeia", disse em nota Benjamin Peronnet, diretor da casa de leilões para desenhos de mestres antigos e do século 19.

De Rembrandt, o "Retrato de um Homem a Meia-Distância, com as Mãos na Cintura" (1658) saiu por 33,2 milhões de dólares, maior valor já pago por uma obra do artista em leilão e o quinto maior valor para uma pintura de qualquer mestre antigo em leilão.

Essa obra havia sido leiloada pela última vez em 1930, por 18,5 mil libras. Passou depois a uma coleção particular nos EUA e não era vista em público desde 1970.

O recorde para uma obra de um mestre antigo continua sendo de "O Massacre dos Inocentes", tela de Peter Paul Rubens vendida em 2002 por 77 milhões de dólares.

O leilão de terça-feira incluiu também um retrato de São João Evangelista pelo pintor Domenichino, vendido por 15,2 milhões de dólares, maior valor já alcançado por uma obra desse artista.