ENTREVISTA-Trompetista Wynton Marsalis compõe sinfonia de blues

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009 14:38 BRST
 

Por Matthew Bigg

ATLANTA, EUA (Reuters Life!) - O aclamado trompetista Wynton Marsalis se prepara para lançar um projeto novo: compor uma sinfonia de blues para orquestra.

Condizente com uma carreira que abrange o jazz, a música erudita, o trabalho de bandleader e de defesa das artes, a sinfonia de Marsalis é épica em sua escala. A intenção é celebrar a história dos Estados Unidos, desde a Revolução Americana até os dias de hoje, através do blues.

A Orquestra Sinfônica de Atlanta vai tocar a sinfonia em janeiro no Morehouse College, em Atlanta, como parte dos eventos anuais de comemoração do Dia de Martin Luther King. Ela apresentou dois movimentos da sinfonia em novembro.

Marsalis, de 48 anos, nasceu em Nova Orleans, o autoproclamado berço do jazz. Diretor artístico do Jazz at Lincoln Center, em Nova York, ele ficou famoso como virtuose do trompete, compositor e bandleader, tendo recebido nove prêmios Grammy e um Pulitzer de Música por suas apresentações e composições de jazz e música clássica.

Marsalis já produziu duas obras épicas anteriores: "All Rise" e "Blood on the Fields", que recebeu o Pulitzer em 1997.

O músico conversou com a Reuters sobre compor a Sinfonia de Blues e sobre grandes músicos de jazz como Duke Ellington e Jelly Roll Morton.

Reuters: O que fez você se interessar por um projeto de sinfonia de blues?

Marsalis: Desde que comecei a fazer música, sempre me perguntei sobre a apropriação por músicos de orquestra de coisas tocadas por músicos de jazz. Me diverti muito fazendo apresentações com orquestras. Os músicos de orquestra são os que têm mais estudo no mundo.   Continuação...

 
<p>Aclamado trompetista Wynton Marsalis, em foto de arquivo, se prepara para lan&ccedil;ar um projeto novo: compor uma sinfonia de blues para orquestra.. REUTERS/Brian Snyder</p>